sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Perdido em Marte

Assisti Perdido em Marte (2015) de Ridley Scott no TelecinePlay. Quando estava em cartaz nos cinemas já queria ver, fiquei eufórica quando vi que em breve estrearia no Telecine. Consegui ver uns dias depois da estreia. É baseado no best-seller de Andy Weir. Esse diretor é incrível, eu adoro esse gênero e The Martian é um grande filme.

Começa com um grupo em Marte, no solo, fazendo pesquisas. De repente avisam que virá uma grande tempestade. Uns estão ajudando aos outros a voltar a base, mas um objeto pesado arremessa nosso protagonista. Ele parece que está morto segundo os aparelhos. E a equipe vai embora. Um tempo depois o protagonista acorda, machucado, volta a essa unidade em Marte e sabe que será dado como morto. Ele começa então a calcular tudo porque sabe que a equipe só voltará a Marte muito tempo depois, e que ele precisa sobreviver até lá.

É mais um filme que estimula o interesse a matemática. Tudo precisa ser calculado. A equipe que também está em missão no espaço, precisa calcular tudo. O tempo que falta para chegar, tudo é lento no espaço, o tempo para voltar, o combustível. Em Marte nosso protagonista precisa calcular a comida, as baterias. Ele percebe que precisa ir onde a equipe está programada em um futuro distante, mas precisa calcular tudo, para conseguir sobreviver nos dias e dias que vai ter que se deslocar. Adorei esses cálculos, eu amo matemática.

Na terra, a Nasa avisa o mundo a morte do astronauta até que pelo satélite eles veem a movimentação de um equipamento em Marte e começam a perceber que ele está vivo. Novamente os cálculos para saber qual equipe pode ir até Marte em menor tempo e se ele ainda estará vivo. Matt Damon está excelente, ele é o Perdido em Marte. Chiwetel Ejiofor integra a equipe da Nasa na Terra. O diretor da Nasa é interpretado por Jeff Daniels. Outros da Nasa são interpretados por Sean Bean, Kristen Wiig e Donald Glover.

A equipe do protagonista é interpretada por Jessica Chastain, Kate Mara, Benedict Wong, Michael Peña, Sebastian Stan e Aksel Hennie. O filme e Matt Damon ganharam Globo de Ouro

Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. O tempo de espera é longo, muito longo.
    E ele não se desespera.
    Até porque em contato com a Base sabe que tudo está sendo feito para seu resgate.
    Não gosto de matemática. Mas sei o valor imenso que ela tem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, é verdade, só depois de escrever o post que achei. ele esperou entre 4 a 5 anos, é tempo demais. o que ajudou é q ele entrou no fazer, estava sempre se ocupando. e claro, qd soube q era ouvido na terra e passou a se comunicar.

      Excluir
  2. Vi anunciando, parece ser muito bom, pelo menos eu gosto de filmes meio perdidos no espaço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ruby, eu acompanhei antes mesmo de estrear em matérias. depois quis ver nos cinemas, mas não consegui. fiquei eufórica quando vi que era a estreia da semana.

      Excluir
  3. Eu assisti no cinema Pedrita e gostei muito.
    Quando passar novamente no Telecine vou assistir, tudo
    que é bom eu gosto de repeteco!

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, deve ser incrível na telona, é um filme mesmo para telona.

      Excluir
  4. Olá Pedrita
    Esse é sem sombra de dúvidas um dos meus filmes favoritos <3
    Ameeei tudo, a escolha do elenco, a adaptação literária, o roteiro, a pegada matemática,a trilha sonora!
    E quando começa tocar StarMan e I Will Survive então????
    E para encerrar com chave de ouro ainda tem epílogo! Sim, eu amo os epílogos, adoro saber o que aconteceu depois do final.
    Ameeei sua resenha <333
    Bjs e excelente fds pra ti
    Luli Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, é incrível realmente. ah, penso como ele do gosto musical da colega astronauta hahahahahaha. obrigada.

      Excluir

Bons comentários!