sábado, 18 de fevereiro de 2017

Linda de Morrer

Assisti Linda de Morrer (2015) de Cris D´Amato no TelecinePlay. Eu tinha um pré-conceito em relação a esse filme. Foi no Natal, na casa da família da Patry do Marion e sua Vida, que eles estavam vendo e elogiando muito. Vi alguns pedaços, fazia um esforço para não ver porque gosto de ver o filme todo, mas eles sempre, olha isso, agora aquilo, que fiquei com vontade de ver.

É bem engraçado. Não sabia que a personagem da Glória Pires morre e quando comecei a ver, muito menos logo no começo. Confesso ter estranhado o discurso de uma protagonista sobre a beleza de cada um, sendo ela de uma família que gosta bastante de interferências estéticas, soou meio falso. 

Eu adoro vários atores do elenco. Gosto demais do trabalho do Emílio Dantas, acompanho desde a TV Record. Me divirto com a Priscila Marinho, ela e Alexandre Rosa Moreno foram ignorados no Adoro Cinema. Ela está demais, rouba a cena. Viviane Pasmanter também está no elenco, como a paciente desequilibrada do protagonista que é psicólogo.

Eu adoro o Ângelo Paes Leme, também acompanho o trabalho dele. Ele é o mau caráter da trama. A personagem da Glória Pires é médica e descobriu uma fórmula que acaba com a celulite, são só alguns pílulas, até idosas ficam com pernas jovens. Só que os efeitos colaterais as enlouquecem. É aí que ela morre. As cenas tecnológicas são muito bem feitas. A médica passa o filme como espírito.

Emílio Dantas é médium, neto de uma mãe de santo interpretada por Suzana Vieira. A avó morre no mesmo dia da protagonista e diz que é o filho que vai ajudá-la. São muito bons atores no elenco: Pablo Sanábio, Cora Zobaran, Carol Macedo, Stella Miranda e George Sauma. Gostei que Linda de Morrer é um filme ágil, bem editado e curtinho. Uma delícia de ver. E gostei de falar desse culto exagerado a beleza, mesmo que não convença muito no tema. Acho que principalmente no Brasil as mulheres estão muito escravizadas em padrões estéticos da moda, que mudam a cada estação. Muitas mulheres se libertaram no passado pra se escravizarem em procedimentos estéticos, às vezes exageradamente.

Beijos,
Pedrita

14 comentários:

  1. Pedrita; eu não assisti inteiro aibda, mas achei engraçado o pouco qye vi.minha mãe ama fikmes nacionais. Eeu tb tenho um pouco de preconceitocomo vc. Mas tem uns bins mesmo! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marion, é engraçado. eu gosto de filmes brasileiros. não curto comédias, independente do país. com raras exceções, claro.

      Excluir
  2. Não conhecia. Gosto desses filmes que mostram com humor a preocupação exagerada com a aparência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, eu confesso que é bem raso a forma que fala da ditadura da beleza. mas é engraçado.

      Excluir
  3. Eu vi no Telecine, Glória ires é uma super atriz mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Este eu assisti. Mas confesso que quando o vi já sabia a estória inteira, porque o trailer conta tudo, rsrs. Mesmo assim valeu! rsrs.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, não sabia q o trailer conta tudo.

      Excluir
  5. Olááááá Pedrita
    Olha eu estava sim com preconceito com o filme, mas minha irmã me convenceu a assistir e eu amei <3
    Ele é curtinho, a narrativa ágil foi o ponto forte, mas os atores também estavam em sintonia.
    Susana Vieira e Emílio Dantas como mãe de santo e psicólogo, avó e neto estão ótimos!
    Mas a minha parte favorita do filme foi a da Priscila Marinho dançando na escada e o Alexandre Rosa Moreno paquerando ela! <333
    Maravilhosos!!!!
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, eu tb tinha preconceito. mas gostei tb. gostei tb de ser curtinho, ágil e com bons atores. priscila é tudo. foi ignorada no adoro cinema.

      Excluir
  6. Não, não tenho interesse de vê.
    Não gosto de filmes nacionais.

    ResponderExcluir

Bons comentários!