sexta-feira, 6 de março de 2009

A Última Convidada

Terminei de ler A Última Convidada (1989) de Josué Montello da Editora Nova Fronteira. Tinha comprado esse livro em um sebo por R$ 12,00, nunca tinha ouvido falar desse autor. Fui pesquisar e Josué Montello escreveu muito livros, nasceu no Maranhão e foi membro da Academia Brasileira de Letras. Gostei bastante de seu estilo, mas principalmente da trama dessa obra especificamente. Uma mulher, esposa de um diplomata resolve fazer uma festa nos seus 40 anos. Ela tem a falta de lucidez de desejar convidar todas as suas amigas do colégio. É o argumento principal da obra, a preparação da festa e os convites. Mesmo que tudo tenho ocorrido bem no passado, eu particularmente acho uma insanidade juntar colegas, trazer o passado à tona, nunca acho uma boa ideia. Eu acho que passado fica no passado e nunca conseguimos revisitar o passado com o mesmo olhar, então não acho confortável revê-lo com os olhos de hoje.

Obra Figuras na Varanda (1980) de Cícero Dias
Com nossa protagonista a questão é muito séria, ela teve um sério desentendimento com sua melhor amiga e foi julgada e condenada por várias colegas de turma. Ela acabou casando com o homem que a amiga apresentou e que muitos achavam que esse homem ia casar com a amiga. Essa amiga que ficou solteira tem muitos problemas emocionais e estava em um sanatório, a nossa última convidada. Nossa protagonista não vai convidá-la, mas todas as outras. Nossa protagonista ficou uma mulher da sociedade, das colunas sociais, riquíssima, não entendo como desejasse uma festa onde seria tão invejada. Sem contar que desde que casou com esse homem recebia constamentes ameaças de vida por carta e telefone. Realmente esse foi o argumento do autor e sem esse argumento o livro não existe, mas só na ficção eu veria uma mulher cometer tal insanidade.
Obra de Ivan de Freitas (1997)
E A Última Convidada fica muito interessante sob esse argumento quase impossível. Nos incomoda muito ver essa mulher não ter noção do vespeiro que mexe. De se tornar responsável por aquilo que provoca. Gostei muito dessa obra.

Anotei somente a primeira frase de A Última Convidada de Josué Montello:
“Todas as noites, sempre que apagava a lâmpada de cabeceira, o mesmo receio das longas horas de insônia lhe subia à consciência, e ela permanecia quieta, um pouco de lado, repetindo os velhos expedientes que lhe tinham ensinado, ou que ela própria inventara, na perpétua astúcia para adormecer: a sucessão de pinheiros na floresta infinita, os patos que formavam uma longa fila nas águas da lagoa, nadando na mesma direção, um atrás do outro; os palitos que ela ia tirando de uma caixa de fósforos, no cuidado de esvaziá-la sem pressa, metodicamente; os soldados que desfilavam com o mesmo passo, o mesmo uniforme, a mesma carabina ao ombro, e iam marchando ao som dos mesmos tambores; tam-tam,rataplã; tam-tam, rataplã.”


Música do post: Dilu Melo - Fiz a cama na varanda




Beijos,

Pedrita

6 comentários:

  1. Interessante conhecer autores brasileiros. Mas não tenho certeza se compraria este considerando a trama. Só se fosse bem baratinho...
    Denise

    ResponderExcluir
  2. Bom Dia Pedrita

    Gosto muito de ver obras de artistas brasileiros, sempre desde pequenina que me identificava com o colorido das pinturas que ia vendo em livros e revistas.

    O escritor já tinha ouvido falar mas nunca li nada dele.

    Beijinhos e bom fim de semana,
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Interessante sua opinião sobre a não conveniência de reunir amigos do passado...é que leas têm com eles parte da nossa história que nem sempre queremos revisitar, mas pode ser bom. No entanto, tb sou favorável a viver o presente com a intensidade que ele merece e antes que vire passado, mas tem gente que não sai do pretérito, acho triste...Um beijo

    P.S. Tenho o selo do Blog Legal UOL e queria inseri-lo na minha página, mas não sei como fazê-lo. Quando tiver um tempinho, passe um passo a passo pra mim, please...SEmpre recorro a vc nestas horas..Desculpe e obrigada!!rs bj!bj!

    ResponderExcluir
  4. sempre desejei ler este autor, depois do seu comentario, vou procura-lo imediatamente.
    obrigada pela visita ao blog olho do pombo!

    ResponderExcluir
  5. dê, eu raramente olho do q o livro trata pq como falam demais em sinopses, compro bem no escuro. vc vai gostar.

    isabel, eu tb. eu gosto de pesquisar pintores do período que foi escrita a obra. não consegui localizar pintores do maranhão. acabei pegando outros q tb nao conhecia, e gostei bastante.

    celia, eu acho interessante ver o quanto cada um é cada um. eu seria como uma das amigas dessa anfitriã. ia agradecer e alegar algum compromisso. vc estaria talvez ajudando na organização.

    olho de pombo, eu que agradeço.

    ResponderExcluir
  6. Ah, eu tb nao iria querer fazer uma festa de aniversário com o pessoal do meu tempo escolar. primeiro que a distancia de muitos dias sem contato seria o nosso priemiro inimigo. Gente que eu mesmo nem conheco.

    Muita insanidade mesmo ou ela queria se mostrar para todos para satisfazer o seu próprio ego.

    Bjus

    ResponderExcluir

Bons comentários!