quarta-feira, 8 de julho de 2009

Guerra dos Mundos


Assisti Guerra dos Mundos (1953) de Byron Haskin no Telecine Cult. Fazia muito tempo que eu não via dois filmes em seguida. Normalmente eu prefiro ver um filme e ficar ruminando um pouco depois. Mas eram dois filmes que queria tanto ver, que não resisti. Eu tinha visto o Guerra dos Mundos do Spielberg e queria muito ver esse. Gostei muito. Apesar de ser um filme de 1953 é muito bem realizado. Me surpreendeu a quantidade de figurantes. Talvez eles mudassem a caracterização para parecer mais, jogo de espelhos, mas mesmo assim eram muitos. O roteiro é muito bom. Barré Lyndon adaptou o livro de H.G. Wells. É igual ao do Spielberg, só que mais centralizado, já que os recursos, a tecnologia e a verba era bem diferente da atual. Então passa mais em uma única região, apesar deles relatarem vários países recebendo os meteoros.

É muito engra-çado o cabelo da prota-gonista sempre arruma-dinho. Ela e o estudioso ficam em uma igreja, com muito pó e destruição caindo na cabeça deles e quando eles vão lá fora ver o que ocorreu, ela não tem pó mais em nenhum lugar e nem um fio de cabelo fora do lugar. Era uma época que achavam que a mocinha tinha que estar sempre impecável, mesmo que não fosse realista. Hoje a opção é por estar mais próximo da realidade. Gostei da ideia do Spielberg usar uma criança para ser protegida pelo pai. Nesse Guerra dos Mundos é a mocinha indefesa que precisa ser protegida. Ela grita o tempo todo, é frágil. Realmente não convenceria nos dias de hoje uma mulher tão sem fibra e covarde. Uma criança parece realmente mais frágil. Os dois são interpretados por Gene Barry e Ann Robinson. Olha só, descobri agora que o Spielberg colocou os dois na versão dele em 2005. Agora quero rever para localizá-los, no IMDB dizem que eles interpretarem avós. Guerra dos Mundos ganhou Oscar de Melhores Efeitos Especiais. Merecidíssimo, eu mesma me surpreendi. É muito bem realizado levando-se em conta os poucos recursos da época. São poucos os momentos que parecem maquetes.


Youtube: War of the Worlds Trailer (1953)




Beijos,


Pedrita

7 comentários:

  1. Oi Pedrita, é bem legal ver dois filmes com a mesma história, feito em épocas diferentes, o Spilberg é um diretor que eu adoro, sempre que posso assisto os filmes dele.
    Você já viu o Trailler de 2012? É do Roland Emmerich, fala sobre a profecia Maia que diz que o mundo acabaria em 2012, coincidentemente acho que vou falar deste filme hoje, mas sei que não chego nem perto das suas resenhas! rs!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que legal!! Muito rica a experiência de assisitir a dois filmes feitos em épocas diferentes, né?

    Vou experimentar!

    beijos!

    ResponderExcluir
  3. Levando em conta as diferentes épocas & tecnologias, gosto dos dois. Devidamente contextualizados, talvez aprecie mais o dos anos 50.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. uando eu lia ficção, o HGWells era meu escritor predileto,,,
    respondi teu comentario do meu blog...
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que nao assisti, nao. Mas a dica é ótima!

    Tava sem rede o dia inteiro e agora ela funciona trá-lá-lá, rs.

    beijos

    ResponderExcluir
  6. Preciso assistir a essa versão porque a outra é péssima, não é Pedrita?

    ResponderExcluir
  7. sheila, não vi o trailer do 2012, vou ficar atenta.

    carla, eu adoro ver o filme que originou o outro ou vice-versa.

    moacy, eu gosto menos do do spielberg.

    olho de pombo, nunca li hgwells, vou ver se leio um.

    paula, eu gosto mais dessa versão, mas não desgosto tanto assim da outra. não é muito boa mesmo, mas não é ruim.

    ResponderExcluir

Bons comentários!