sábado, 11 de julho de 2009

A Noiva Síria

Assisti A Noiva Síria (2004) de Eran Riklis no Telecine Cult.Vi esse filme por um acaso. É uma co-produção entre Israel, França e Alemanha. Eu procurava algo pra ver, não tinha achado nada, vi esse nome, resolvi arriscar, com um certo receio, porque não sou fadada a filmes românticos. Mas A Noiva Síria não é um filme romântico, mas sim um drama e um filme bastante político. Começa com quatro moças andando em uma cidade. Jovens, bonitas, de jeans, alegres, falando de casamento. Parece um dia comum de umas jovens, onde uma vai se casar, e a correria nos últimos preparativos. O filme é ambientado nos dias de hoje.

Aos poucos vamos vendo que não é bem assim. A noiva vai casar com um ator de televisão que ela não conhece pessoal-mente, só o viu na televisão, interpretando o seu personagem. O noivo a conhece por uma foto. Ele não pode vir a cidade da sua noiva, porque é uma cidade que foi ocupada por Israel, mas o povo que lá vive não tem oficialmente nacionalidade alguma. Ela consegue a muito custo um passaporte para poder passar a fronteira de Israel e ir casar com seu marido na Síria, mas assim que fizer isso, será banida de Israel e nunca mais vai poder ir para ver a sua família. Começamos então ver outros problemas de nacionalidades. Os radicais religiosos que vão ao casamento na fronteira falam ao pai da noiva que se o filho que casou com a russa vier, eles não irão ao casamento. Também na cidade há uma manifestação política no mesmo dia do casamento. Com isso vemos inúmeras questões sociais e políticas daquela região são mostradas. Na hora do casamento que algumas vestem roupas mais austeras. No dia a dia vestem jeans. Só as blusas que apesar de modernas não são decotadas nem sem mangas. A Noiva Síria é um filme impressionante, me emocionou demais.
E como algumas questões burocráticas são muito parecidas com o Brasil. Como um carimbo pode gerar uma questão tão séria como qualquer conflito armado.

O elenco é excelente. Belíssimas as atrizes que fazem a noiva síria, Clara Khoury e sua irmã, Hiam Abbass, essa já vi em outros filmes. Achei inclusive que Clara Khoury é muito parecida com a Barbra Streisand. Alguns outros do elenco são: Makram J. Khoury, Ashraf Barhoum, Julie-Anne Roth , Eyad Sheety, Evelyn Kaplun, Adnan Tarabshi, Derar Sliman e Marlene Bajali.

A Noiva Síria ganhou o Prêmio do Público, no Festival de Locarno e do Ganhou o Grande Prêmio das Américas, o Prêmio Ecumênico do Júri, o Prêmio do Público e o Prêmio FIPRESCI, no Festivald de Montreal.


Youtube: the.syrian.bride.2004.part1











Beijos,


Pedrita

6 comentários:

  1. Adoro esse filme! Cada vez me surpreendo mais com o cinema isralense.

    ResponderExcluir
  2. puxa queria tanto ve-lo!
    Pedrita resondi ao seu comentario la no blog, sobre a holandesada que deixou sua genetica impressa nos brasilis tupiniquins....

    ResponderExcluir
  3. E bacana conhecer mesmo o sistema de produção cinematográfica de outros países, não só pela cultura, que é um argumento mais óbvio assim, mas pela gestão, pelos preciosismos.
    Gostei da dica!

    ResponderExcluir
  4. COmo assim desistiu dos seus sonhos? N desista! Vc é tão querida! Não desista!

    ResponderExcluir
  5. Pedrita, o filme deve ser bem interessante mesmo. É triste ver a vida das pessoas ser prejudicada por estas brigas polícitas/reliogiosas. Muitas vidas tem seus destinos mudados, para pior, por causa destes conflitos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. ana maria, eu vi alguns filmes israelenses e gosto bastante de alguns.

    paula, eu gosto de variar bastante a produção cultural de outros países em várias áreas. pq até mesmo os costumes são outros. em a noiva síria foi o contrário, vi o quanto casamentos são lá muito parecidos com os nossos. esquecendo é claro as crises políticas do país. as dificuldades familiares, a preparação da noiva, é tudo muito parecido.

    marion, o filme é lindo.

    ResponderExcluir

Bons comentários!