quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Misto-Quente


Terminei de ler Misto-Quente (1982) de Charles Bukowski. Esse é mais um dos livros que minha irmã me emprestou. Gostei muito, nunca tinha lido nada desse autor, é dessa edição da capa da foto, publicada pela L&PM. Agora achei na FNAC por R$ 15,60 e vi que chega no máximo a R$ 19,50. Parcialmente biográfico, Charles Bukowski conta a história de um garoto que nasceu na Alemanha e veio aos 3 anos para os Estados Unidos. De família pobre, sofreu muito na mão de um pai violento e irrascional. Ele espancava regularmente o filho.

Misto-Quente fala de famílias pobres que perderam os seus empregos na época da recessão. Fala dos colégios, da violência nas escolas e nas ruas, da intran-sigência familiar, famílias desestruturadas. Fui olhar fotos de Charles Bukowski na internet e realmente parece que ele sofreu com problemas de espinhas. No livro, Charles
Bukowski fala de um tratamento gratuito que o personagem participou como experiência. Um tratamento doloroso, desumano, assustador. Fiquei impactada com o texto de Charles Bukowski, não dá pra ficar indiferente a tanta violência na sociedade e acabei refletindo muito sobre as consequências desses atos, embora não acredite em consequências lineares.


Anotei alguns trechos de Misto-Quente de Charles Bukowski:

“A primeira coisa de que me lembro é de estar debaixo de alguma coisa.”

“Sábado? Não havia a mínima chance de que eu pudesse ir. Era dia de cortar a grama. Eu tinha que cuidar dos fiapinhos. (Eu nunca conseguia eliminá-lo por completo.) Praticamente todos os sábados eu apanhava com o amolador de navalha porque meu pai encontrava um fiapo. (Também apanhava durante a semana, uma ou duas vezes, por outras coisas que eu deixava de fazer ou não fazia corretamente).”


Youtube: Charles Bukowski "Bluebird."


From Mata Hari e 007


Beijos,

Pedrita

6 comentários:

  1. Embora não tenha lido o livro em questão, gosto muito do autor, já que o que li dele, até o momento, me instigou bastante.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessada no livro, ainda mais que vc disse que é meio autobiográfico!
    Bj

    ResponderExcluir
  3. Nossa, adorei sua resenha!!! Com certeza vou amar, vai pra lista! É a minha cara, adoro livros assim!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Os nossos atos ficam marcados na vida de uma crianca para sempre. Uns superam outros carregam as marcadas a vida toda. certamente deve ser um bom livro.

    Bjus

    ResponderExcluir
  5. la socière, carla e georgia é bastante violento.

    ResponderExcluir
  6. Este foi mais um daqueles livros que comprei porque estava barato e nunca tinha lido nada do autor. É violento, mas muito bem escrito.
    Denise

    ResponderExcluir

Bons comentários!