sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Concerto da Paz

 Fui ao Concerto da Paz com a OSUSP (Orquestra Sinfônica da USP) sob regência da excelente maestrina Ligia Amadio na Sala São Paulo. Esse concerto foi em homenagem ao centenário do maravilhoso compositor americano Samuel Barber. A sala estava lotada. Foi um concerto emocionante, as obras do Samuel Barber são belíssimas. Inicialmente a orquestra interpretou o triste e melódico Adagio para Cordas
Foto de Ernani Coimbra




From Mata Hari e 007
Depois a excelente soprano Adelia Issa subiu ao palco para interpretar a incrível obra Knoxville: summer of 1915 para voz e orquestra, foi sublime. A OSUSP interpretou depois a Prayers of Kierkegaard para coro misto, soprano solo e orquestra como o Coral Paulistano e a soprano Edna D´Oliveira. São obras de uma complexidade e beleza surpreendentes.
crédito da foto: João Pires

Para dar um clima mais leve ao concerto, após o intervalo, a OSUSP interpretou obras de Gershwin.A renomada pianista Fany Solter intepretou com a OSUSP a Rhapsody in Blue para piano e orquestra. Eu queria muito ouvir ao vivo essa pianista de tantos elogios que ouvi sobre sua interpretação, impressionante! A OSUSP finalizou com a obra Um Americano em Paris. Foi um concerto memorável!



From Mata Hari e 007
Beijos,

From Mata Hari e 007
Pedrita

5 comentários:

  1. O célebre Adagio, para cordas, de Samuel Barber, tantas vezes usado no cinema, "Platoon", por exemplo, possui essa enorme capacidade de ler o estado da alma, tal a força musical e poética que ele nos transmite.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  2. Estou precisando fazer algo nesse estilo, mas meu olhar anda desejando ficar dentro de casa. Ganhei um cd do Waltz - Chopin com lindas 19 músicas do mio amore.
    Não vou a lugar algum, mas as músicas vêem até mim.
    Bacio

    ResponderExcluir
  3. Definitivamente: sou fã de sua vida cultural!

    ResponderExcluir
  4. paula e rui, é muito emocionante mesmo.

    lunna eu tb gosto de ficar bastante em casa, mas tem eventos q não dá pra perder.

    la socière, imagina

    ResponderExcluir
  5. Vanessa a ópera em 3 actos composta em 1956-57 por Samuel Barber com libreto de Gian Carlo Menotti baseada numa história de Isak Dinesen, é a minha obra preferida de Barber.

    ResponderExcluir

Bons comentários!