sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O Sol Se Põe Em São Paulo

Terminei de ler O Sol Se Põe em São Paulo (2007) de Bernardo Carvalho. Queria muito ler uma obra desse autor e essa é simplesmente fascinante! Fiquei fã desse autor! Gostei do estilo entrecortado, com fragmentos, muitos silêncios e a dúvida se em algum momento eu soube realmente o que aconteceu. Comprei esse livro na Livraria João Alexandre Barbosa da USP. Eu não resisti quando passei na livraria e comecei a andar pelos corredores pra escolher um livro. Quando levei ao caixa alguns pra saber quanto custavam descobri que vários tinham descontos enormes. 30% na maioria e umas surpresas em outra maioria. Saí carregada e esse estava no meio. A livraria comentou que costuma fazer promoções sempre no início dos semestres, não consegui arrancar se são promoções sempre mágicas como essa. Esse é da Companhia das Letras.

Obra Esquina do Anhangabaú (1951) de Jorge Mori

Nosso protagonista é um escritor, na verdade ele nunca escreveu um livro, mas se diz escritor. Ele se interessa por uma senhora, dona de um restaurante japonês na Liberdade, ela resolve contar a sua história. Ela some, e ele segue suas pistas. Tudo é subjetivo, mágico, duvidoso e fascinante!   O estilo de narrativa é todo entrecortado, nada é completo. Gostei demais das inúmeras interpretações que podemos ter em toda a narrativa.



Obra Cidade II (1984) de Claudio Tozzi 

Trecho de O Sol Se Põe em São Paulo de Bernardo Carvalho:

“Não vejo nenhuma metáfora no que eu digo.”

“Mesmo as obsessões mais compreensíveis na juventude ganham um aspecto degenerado quando se perpetuam até revelar o sintoma de algum tipo de fracasso na maturidade.”

Os dois pintores são paulistanos.

O Júlio Pimentel Pinto do Paisagens da Crítica escreveu uma resenha detalhada sobre esse livro nesse link, que vou ler detalhadamente agora.

Não localizei uma entrevista do Bernardo Carvalho sobre esse livro, então vou colocar uma para o Entrelinhas da TV Cultura sobre outro de seus livros.














Pedrita

4 comentários:

  1. Pedrita, adorei encontrar seu blog, gosto de ler mas tenho lido pouco e não conhecia esse autor, Bernardo Carvalho. Ouvir a entrevista e ler seu post me deu vontade de comprar algum livro dele. Obrigada pela sugestão, beijos e bom domingo

    ResponderExcluir
  2. Pedrita, nós dois temos um gosto comum: o escritor japones JunIchiro Tanizaki. Mas ainda não consehui ler nada dele....a proposito: viu o filme : Poder e Traição?

    ResponderExcluir
  3. Eu li, Pedrita. este autor japonês é um dos meus escritores preferidos.....
    Poder e Traição conta a historia de Mary Sturt , rainha da Escocia, agora eu estou lendo a biografia dela que o Stefan Zweig escreveu,,,, muito bons, os dois, filme e livro....

    ResponderExcluir
  4. ana maria, eu fiquei com vontade de ler os outros que o júlio pimentel pinto comentou. obrigada pela visita.

    fatima, tenho vontade de ler esse autor japonês. eu amei o filme do stefan zweig do sylvio back e pelo filme fiquei com vontade de ler obras do zweig e depois a biografia. gosto de biografias de reis e rainhas.

    ResponderExcluir

Bons comentários!