domingo, 1 de maio de 2011

Amor Que (Não) Ousa Dizer Seu Nome

Assisti a peça  Amor Que (Não) Ousa Dizer Seu Nome da Cia. Filhos do Dr. Alfredo na Estação Caneca.O dramaturgo é Marcelo Braga que divide o palco com Alexandre Cruz. A direção é de Milton Morales Filho. O belo e prático cenário é de Marcela Donato.  A iluminação de Aline Santine e os figurinos de Léo Diniz. São dois casos policiais sobre homossexuais, um de Oscar Wilde que foi preso por dois anos a trabalhos forçados sob a acusação de ter práticas homossexuais e outro no Brasil, nos anos 80, sobre o maníaco do Trianon que foi acusado de matar 13 homossexuais. Um homem foi preso, mas não se sabe se ele é o responsável pela morte dos 13. Ele só confessou um e conseguiram juntar mais dois, mas mesmo sem achar os que mataram todos os outros 10 mais ninguém foi preso. Gostei muito do espetáculo e da forma como é construído. Dois atores interpretam vários personagens e as caracterização são simples, mas unidas a ótima interpretação, eles mudam completamente.


A peça vai cortando entre um ou outro fato. Os atores leem trechos de cartas de Oscar Wilde e, baseados em processos, resgatam depoimentos. No início o ator já fala que da dificuldade nas investigações do maníaco do Trianon que se devem principalmente das famílias que tentam abafar a forma como seus parentes morreram. A peça mostra também na história atual a forma como a mídia tratava o caso nos anos 80. Adorei o Estação Caneca, é um simpático espaço cultural. Amor Que (Não) Ousa Dizer Seu Nome  é um ótimo espetáculo que fica em cartaz até 28 de maio, os ingressos custam R$ 20,00.



Beijos,

Pedrita

3 comentários:

  1. Otimo post, acho que teatro precisa mesmo de indicação. Filme vc pode até arriscar, se não for grande coisa sempre tem a fotografia, as musicas, sei lá, mas teatro quando é ruim...é péssimo! Beijo Pedrita, bom final de domingo

    ResponderExcluir
  2. Oi Pedrita
    adorei os comentarios, parece ser um texto muito bom mesmo.
    beijo

    ResponderExcluir
  3. anamaria, para gastar no cinema eu penso bastante já q é alto o investimento. mas realmente, filmes na tv a cabo dá pra arriscar tranquilamente.

    gammelo, é bom mesmo.

    ResponderExcluir

Bons comentários!