domingo, 12 de julho de 2015

Como se faz humor político

Terminei de ler Como se faz humor político de Henfil da Kuarup. São depoimentos feitos a Tárik de Souza. Essa linda edição comemora 30 anos da primeira edição. Adorei! Incrível como é atual! Sempre fui fã da inteligência do Henfil, dos seus desenhos e fiquei mais fã ainda. O incrível é que não se faz humor político, segundo Henfil, o humor pode ser político ou não, é o humor que acontece, não o que se faz.

No livro há alguns cartuns de Henfil. Ele conta que dificilmente o resultado é o que imaginou, que os personagens ganham vida própria. Que ele queria um que incomodasse, mas as mulheres adoravam. Outro era para agradar as mulheres que odiavam, mas agradava quem ele não imaginava. Muito engraçado quando ele fala que muitos confundem os cartunistas. Que chegavam pra ele falando de um cartum ou personagem do Paulo Caruso e diz que devem fazer o mesmo com os outros. Também engraçado quando ele diz que tem gente que fala rindo de um cartum que ele não fez. É o personagem dele, mas ele não escreveu aquele. Henfil parecia adorar quando os seus personagens ganhavam vida própria. Ele critica o fato de adorarem dizer que só agora tem bons humoristas, o humor estava escondido. Ele acha tudo isso uma mentira. Que sempre tiveram e vão ter bons músicos, cartunistas, é que gostam de repetir isso.


No prefácio Sergio Augusto imagina como seria hoje o Henfil no mundo do politicamente correto. Acho que se sairia muito bem. E no livro o Henfil fala para o Tárik que escreviam pra ele, mas que eram sempre os mesmos. Com a velocidade da internet ele ia falar com gente muito inusitada, de vários lugares, mas também ia sofrer duros ataques. É muito interessante como ele acaba falando do humor. Ele diz que não perde um amigo por uma piada, que se faz guarda, e que também não prejudica quem já é prejudicado. Ele cita o exemplo da Roberta Close, em voga na época. Que se ele brincasse com ela, poderia promover um aumento de perseguição aos travestis, o que já acontecia na Ditadura Militar. Incrível como ele mesmo sendo politicamente incorreto muitas vezes, ele preservava as pessoas. Ele brinca que mulheres não são minoria, e é fato, mas que ele não fará algo que venha a prejudicá-las ainda mais. Essa consciência e respeito é fantástico. Amei o livro!



Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. Deve ser incrível esse livro. Boa dica.
    Bom final de semana!
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pedrita,

    Este post me deu até saudade do passado, rsrs. Quem não leu as tirinhas do Henfil e nem testemunhou a atuação desta família (Henfil e Betinho, principalmente? rsrs). É possível até que eu tenha lido a primeira edição desta obra, vou verificar, rsrs.

    Beijoca, boa noite e ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Não conheço o humorista, peso que cartoonista, mais difícil que fazer humor político, é fazê-lo de uma forma desinteressada mas útil para a sociedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, é difícil mesmo. talvez impossível.

      Excluir

Bons comentários!