terça-feira, 1 de setembro de 2015

Em Quadro

Assisti ao documentário Em Quadro (2009) de Luiz Antonio Pilar no Arte 1. Estava começando esse documentário, adoro os atores, e assisti. É muito bom! Em Quadro entrevista quatro importantes atores negros que adoro: Zezé Motta, Milton Gonçalves, Léa Garcia e Ruth de Souza. Muito interessante como cada um lidou e atuou nas produções, Alguns mais engajados, outros nem tanto, uma grande e fascinante diversidade.

Gostei que cada um foi entrevistado individualmente. Zezé Motta contou que onde estudava e morava a maioria era branca, então ela queria o cabelo liso. Quando foi aos Estados Unidos com peruca chanel ficaram horrorizados e foi aí que ela passou a usar o cabelo como é o dela mesmo. Na época se usava muito cabelo black power e foi assim que ela usou nesse período.

Quase todos falam do quanto gostaram de fazer o filme Filhas do Vento que gostei muito e comentei aqui. Contam que é um filme sobre uma família, suas dificuldades onde todos são negros. Mas não é um filme sobre racismo. E sim sobre uma família qualquer, que poderia ser de qualquer país.

Alguns dão depoimentos. Gosto demais do pesquisador Joel Zito Araújo que conseguiu resumir algo que tenho tentado dizer para amigas sem sucesso. Ele disse que o negro é escolhido para a dramaturgia para falar de negritude, e que o branco para humanidade. Eu penso assim. O negro é escalado para falar de racismo, preconceito. Só na TV Record acabei vendo novelas onde os atores eram escolhidos pelos personagens independentes de serem negros e brancos. Independente de serem ricos ou pobres. Ando bem cansada na TV Globo com a segmentação que criam. Se vai ter comunidade na novela, serão na maioria negros. Os brancos no asfalto. E só falam de negritude, racismo. E não personagens humanos sobre questões ampliadas. Não vejo a hora desse círculo vicioso se quebrar.

Milton Gonçalves falou bastante de cinema. Falou de Grande Otelo, do filme Macunaíma. Falaram muito também do filme com ele, Rainha Diaba de 1974 que não vi. O diretor Antônio Carlos Fontoura contou como foi. Milton Gonçalves foi apresentado ao roteiro. Vendo o quanto era forte, consultou o filho se ele aceitaria, e o filho aceitou e ele fez. Milton Gonçalves disse que gosta de interpretar bandidos.


Ruth de Souza atuou muito em filmes da Vera Cruz e comentou sobre Sinhá Moça que comentei aqui. Os cineastas Roberto Farias e Cacá Diegues também dão depoimentos. Cacá Diegues fala inclusive do belíssimo filme O Maior Amor do Mundo com a Léa Garcia e claro, Zezé Mota e Diegues falam muito do filme Xica da Silva de 1976 que também quero ver eu só vi a novela da TV Manchete. Não sei se concordo com o samba da abertura. Acho que reforça esteriótipos. Eu vi outro documentário sobre os negros nas artes, A Negação do Brasil, que igualmente gostei muito e comentei aqui


Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. Oi, pedrita,

    O racismo (esta coisa nojenta) está aí, mas só a existência desses quatro talentosos atores atesta o quanto isso é uma coisa idiota. Vou querer ver este documentário, pois sou fã dos quatro e vi alguns dos trabalhos mencionados no post.

    Beijo e bom setembro pra você!

    ResponderExcluir
  2. Eu penso que o racismo está dentro deles. Penso que eles é que não se aceitam. Se é preto não aceitam que sejam chamados de preto. Como se tivessem vergonha da cor.
    Certa vez ouvi Milton Gonçalves dizer: "Eu não faço parte de movimento negro. Eu sou um negro em movimento." Parabéns, Milton Gonçalves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. milton gonçalves é incrível. os 4 são.

      Excluir
  3. Pedrita,

    Entendi o que você diz e concordo em partes. Acho que existe um costume na Globo que as novelas PRECISAM ter mensagem social, então , se tem um negro, este personagem vai ter que abordar de alguma forma o preconceito e passar uma mensagem. Isso é ruim, mas nem sempre é assim. Mas aqui ainda está longe do que vemos nas séries americanas que os personagens negros estão inseridos na trama igual aos brancos, sem distinção, sem tocar no assunto de preconceito. Mas já houve novelas aqui que era de igual pra igual. Acho que era na Favorita que o Milton Gonçalves era um político corrupto. Ah, e em Boogie Oogie tb, o nosso amado Tadeu! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. patry, são poucas novelas da globo que colocam o ator pelo personagem e não pela cor. concordo plenamente que o tadeu de boogie oggie foi fantástico. as novelas das seis inovam bem mais.

      Excluir
  4. Resenha maravilhosa amei a dica do filme
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=EgeQXJjUpSQ
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Bons comentários!