segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Histeria

Assisti a peça Histeria de Terry Johnson no Teatro Frei Caneca. A direção é de Jô Soares. O texto é ficcional imaginando um encontro entre Freud e Dali. Os dois realmente se encontraram uma vez brevemente por intermédio do Stepan Zweig. O espetáculo é simplesmente genial. Eu amo esses dois atores, Pedro Paulo Rangel que interpreta Freud e Cássio Scapin que faz o Dali. Os dois estão maravilhosos!

Completam a dupla dois atores Milton Levy como o médico de Freud e Erica Montanheiro como uma paciente. Os dois também estão ótimos. Incrível a entrega da atriz e seu despojamento. Freud estava com 82 anos, refugiado em Londres, com câncer. É uma comédia, mas como é o gênero, há momentos dramáticos e eu fiquei muito perturbada com os dramas. Erica Montanheiro interpreta uma possível filha de uma paciente de Freud. A peça inventa um inconsciente de Freud expiando as suas culpas. Uma paciente que ele errou o diagnóstico. Teve um momento que Freud culpava as mulheres, até mesmo crianças, dos abusos que sofreram, achando inclusive que eram invenção. Claro, as explicações técnicas devem ser mais profundas do que esse meu raso comentário. A peça é um delírio. 
Essas duas fotos são da Priscila Prade

Outra questão que me chocou foi o fato das 4 irmãs de Freud não terem fugido e terem sido mortas em campos de concentração. Fui até checar e sim, é fato. Na peça Freud sente culpa de não ter salvado as suas irmãs. Achei na internet vários textos culpando Freud por não ter interferido e salvo suas irmãs. Confesso que acho um pouco leviano culpar um homem de 82 anos, com câncer de não ter conseguido salvar suas irmãs. Eram tempos sinistros, com dificuldade de comunicação. Suas irmãs eram idosas também. Só depois da Segunda Guerra Mundial é que realmente ficamos sabendo dos horrores dos campos de concentração. Os judeus eram perseguidos há décadas, as irmãs podem ter achado que iriam sofrer, mas continuariam em suas casas, com seus objetos e familiares. Podem ter achado que não era necessário fugir. Difícil saber realmente o que aconteceu já que eram tempos sombrios, sombrio é pouco. Claro, Freud talvez pudesse ter se empenhado mais em trazer as irmãs, mas até viagens eram difíceis, clandestinas mais ainda, para idosos mais difíceis ainda. Acho difícil julgar. Fiquei muito impactada com a peça. O momento do incrível vídeo de Pri Argoud e André Grynwask é que todas essas tramas que vinham sendo faladas em textos entram em drama em todo o nosso corpo. É um momento muito, mas muito doloroso. Muito triste a imagem das irmãs, muita dor. Maravilhoso espetáculo! Bravo a todos! A temporada está acabando e é até 20 de novembro.

Beijos,

Pedrita

12 comentários:

  1. Sim deve ser mesmo tudo maravilhoso, como espetáculo.
    Não sei nada da vida de Freud.
    E essa parte da história de vida dele, deve ser interessante para mim que adoro biografias.
    Se vier para cá, assistirei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, eu li a biografia do freud pelo peter gay. parecia best sellers. muito bem escrita, rica, mas deliciosa de ler. depois li algumas cartas entre freud e jung. e vi um filme sobre uma paciente. essa peça é incrível, mesmo que seja ficção como um delírio de freud. texto excelente.

      Excluir
  2. Que maximo essa peça amei, tenha todos uma semana abençoda e obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  3. Pedrita,
    A gente que mora em cidade grande temos variedades de
    programas culturais. Quem pode e gosta deve aproveitar mesmo!
    Essa peça deve ser tudo de bom!
    Teatro é tudo de bom, tem peças que me faz dar muitas risadas, rsrs.

    Bom feriado!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, realmente somos privilegiadas. há muitas cidades sem teatros e sem salas de cinema, mesmo cidades grandes. eu tento aproveitar um pouquinho.

      Excluir
  4. Este é bem o tipo de peça que eu curtiria muito! rsrs. Já disse que adoro um drama, e se este tem elementos não ficcionais e ainda por cima com alusões a coisas da psique, aí é que a coisa me ganha mesmo! rsrs.

    Beijoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, acho que ia gostar. vive viajando esse espetáculo.

      Excluir
  5. Oi Pedrita,
    Não sei se reparou mas coloquei uma notificação no post de ontem avisando que não tinha comentários sobre os links da semana.
    Qto a peça parece ser muito boa e inteligente.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky
    YT - Meu Canal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lulu, não tinha reparado. é ótima a peça.

      Excluir
  6. Olááá Pedrita!
    Nossa amei essa resenha <3 Essa pegada de psico/comédia dramática é sempre muito instigante.
    Fiquei impressionada com a história das irmãs de Freud, nunca imaginei nem soube disso.
    Concordo com vc, é no mínimo inconsistente fazer críticas ao Freud, na época as coisas eram muito diferentes, as informações em outro contexto como se fosse um outro mundo, um momento da história da humanidade em que coisas abomináveis e inimagináveis foram feitas.
    Instigante um encontro entre Freud e Dalí!
    Adoro os atores <3
    Bjs e bom feriado pra ti
    Luli Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, eu li a biografia mas não lembro se falava das irmãs de freud. muito impressionante realmente. tudo é ótimo.

      Excluir

Bons comentários!