sexta-feira, 23 de março de 2018

A Vigiliante do Amanhã

Assisti Ghost in the Shell (2017) de Rupert Sanders no TelecinePlay. O nome no Brasil é péssimo. Eu não estava muito animada, adoro ficção científica, mas recentemente Scarlett Johansson atuou em um filme parecido, então  não entendi porque escolheram a mesma atriz. Amo essa atriz, mas não fazia sentido fazer um personagem tão parecido. Gostei muito do roteiro. O filme é mais ou menos. O roteiro é baseado no mangá do japonês Masamune Shirow.

Acho que o diretor quis se inspirar em Blade Runner, ou mesmo homenagear. As locações são muito escuras, muito molhadas, a maioria de noite. Escuras demais pro meu gosto. Gostei da atualidade do roteiro. Vou falar detalhes do filme: Uma equipe médica precisava de pessoas para os seus experimentos. Cada vez mais humanos e androides vivem misturados. O amigo da protagonista parece saído direto de Blade Runner e é interpretado por Pilou Asbaek.

Começa com a protagonista sendo atendida em um hospital, depois uma máquina fazendo o corpo dela. Ela acorda e a médica disse que ela estava se afogando, tinha fugido com os pais de navio, os terroristas os atacaram, e eles conseguiram salvá-la, mas só o seu cérebro. O corpo teria sido reconstituído. Com o tempo, do meio para o final do filme descobrimos que não foi bem isso. Ela e outros jovens eram rebeldes, viviam em uma parte sem lei da cidade. Policiais os prendem e os usam de cobaia. Incrível como o tema é atual. Mesmo com todo radicalismo da trama, o quanto muitas vezes acham dispensáveis cidadãos que questionam a sociedade. Que a experiência seria para um bem maior. Sei.
 Juliette Binoche é a médica. A atriz não está bem no filme, esquisita, parece não se sentir confortável no personagem. Canastrona mesmo. Uma pena porque adoro essa atriz.

Michael Pitt está ótimo. Quando o rosto dele aparece é o momento que o filme fica mais interessante. Só agora que vi que o Takeshi Kitano está no elenco, ótimo personagem, está irreconhecível pela maquiagem.



Beijos,
Pedrita

13 comentários:

  1. Achei esse filme fraquinho, não assistiria de novo.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se assistiria.

    Ultimamente não estou conseguindo ver filmes, mas acompanho os blogs e deixo anotado para o futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, não vale muito investir em ver esse filme. espero que uma hora volte a ver filmes.

      Excluir
  3. Apesar de ser fã de mangás e animes, não fui ver esse filme pq não me desse Scarlett Johansson, por mais que eu goste dela, interpretando um personagem de ascendencia japonesa!

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pandora, como scarlett é uma androide, o filme exige muito pouco dela. mas não vale a pena perder tempo não. eu adoro a scarlett.

      Excluir
  4. Pelo jeito, Blade Runner continua inspirando outras obras, que são como que desdobramentos do filme original, rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, e deve inspirar sempre. mas nesse ficou escuro demais. sei lá, é bem arrastada a primeira parte. chatinho mesmo.

      Excluir
  5. Olá Pedrita
    Ainda não assisti, gosto muito da atriz e gosto bastante de sci-fi.
    Fiquei especialmente interessada por ser baseado num mangá.
    Amei a foto da Scarlet Johansson com o mangá!
    Fico sempre pensando que os diretores não são muito otimistas com relação ao futuro, todos imaginam algo apocalíptico...
    Ótimo domingo pra ti
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, eu tb sou pessimista qt ao futuro. acho q vc vai gostar de alguns momentos. mas é mais ou menos.

      Excluir
  6. Não terminei de vê. Acho que era esse filme da Scarlet.
    Não gosto de ficção porque não consigo entender.
    Acho que era esse filme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, é meio confuso mesmo. explica melhor do meio pro final. mas acho que a adaptação do roteiro é ruim. não fica claro. e vc ainda não gosta do gênero.

      Excluir

Bons comentários!