quarta-feira, 21 de março de 2018

As Duas Irenes

Assisti As Duas Irenes (2017) de Fabio Meira no Canal Brasil. Eu queria muito ver esse filme, tinha adorado as matérias, acompanhei entrevistas, ouvi falar dos inúmeros prêmios. Aguardava ansiosamente! Fiquei eufórica quando vi que ia estrear no Canal Brasil! E que filme lindo! É tudo ou mais do que disseram.

O roteiro não chega a ser original, mas gosto muito do tema. E a forma como é conduzida é maravilhosa e realista. As Duas Irenes é um filme delicado, suave, sobre questões familiares complexas. Começa com uma menina jogando uma pedra em uma janela e saindo correndo. Eu já sabia um pouco do roteiro então já imaginei o que era.

Aos poucos entendemos que essa menina é Irene. Ela descobriu que seu pai tem uma outra família. A outra mulher do pai é costureira, então Irene arruma um tecido pra ir lá pedir uma roupa e conhecer mais a família. E descobre que o pai tem outra filha com o mesmo nome que ela e que nasceram no mesmo ano e que as duas tem 13 anos. Ela mente o nome.

As duas ficam amigas. É linda a amizade delas. Boa parte do filme mostra a vida adolescente delas nessa cidade pequena, ir ao cinema, ir a praça, as descobertas. A filha da costureira tem o corpo mais desenvolvido, já beijou, usa roupas mais ousadas. A família é mais liberal. Ótimas atrizes Priscila Bittencourt e Isabela Torres. O filme é praticamente com elas, o cotidiano da vida delas. Os figurinos de Anne Cerutti são lindos. A trilha sonora também é linda. Tudo é delicado!

A família da outra Irene é mais conservadora e com uma situação financeira confortável. Elas são três irmãs. A mãe é austera. Eles tem empregada. O elenco é ótimo. Marco Ricca que faz o pai, ele é feliz nas duas famílias, mas mais austero na família tradicional e mais descontraído na família da costureira. Suas mulheres são interpretadas por Inês Peixoto e Susana Ribeiro. Teuda Bara é a empregada. Há vários adolescentes no filme. A irmã mais velha é Maju Sousa. Eu ficava me perguntando pra onde o filme iria e que incrível a solução do filme, inteligente, sutil. Me emocionou a forma como essas duas irmãs resolvem o dilema. O roteiro de As Duas Irenes foi selecionado no fundo de incentivo a novos autores.
Merecidíssimos todos os prêmios que As Duas Irenes vem levando!

Beijos,
Pedrita

16 comentários:

  1. É um filme interessante, gostei da dica Pedrita.

    Beijos,
    Pri
    www.vintagepri.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, Pedrita!
    Já passou várias vezes no Canal Brasil, eu assisti duas vezes é muito lindo, gostei demais!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, é lindo demais mesmo. tenho revisto trechos de novo. muita delicadeza.

      Excluir
  3. Olá Pedrita
    Ooooouuunn não assisti aínda, querooooo muito ver.
    Já estava curiosa e fiquei ainda mais instigada depois da sua resenha.
    Vou procurar para ver.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Pedrita! Ahh eu não vi o filme mas li uma entrevista com o diretor que falava que havia um enfoque no universo interior da personagem muito forte. Por levantar a questão do afeto e das dificuldades na adolescência. Quero ver!! ;)

    Adorei a resenha!

    beijos!!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lu, é isso mesmo. passa os conflitos das duas adolescentes. muito delicado e bonito.

      Excluir
  5. Oi Pedrita,
    Ainda não conhecia esse filme, mas parece bem interessante.

    Big Beijos,
    LULU ON THE SKY

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Eu queria ter assistido Um Homem Chamado Ove no cinema, mas saiu de cartaz. Snif.... Sobre Orgulho e Paixão: o autor pegou personagens de diferentes histórias e jogou tudo no liquidificador. Gostei não... A novela passa nas primeiras décadas do século XX (eu acho que nos anos 20). Portanto, pós-Abolição. Bjs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, nem sabia desse filme. eu queria ter visto duas irenes no cinema. tb não gostei de orgulho e paixão. pós-abolição, os negros foram libertos mas sem trabalho, abandonados, nas ruas. abduziram todos na novela.

      Excluir
  7. Confesso que desconhecia este filme, porém, fiquei muito interessada nele. Até pouco tempo atrás era muito comum a existência das famílias "filiais" (as matrizes eram as oficiais, rsrs). Tudo isso era (e é ainda, em muitos lugares) consequência do machismo da sociedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, eu acompanhei várias matérias. acho que vai gostar muito. gostei do filme mostrar que o patriarca era feliz nas duas famílias. e q era provedor nas duas, bom pai. sim, fruto do machismo. o pai é muito machista. mas ele respeita as duas esposas.

      Excluir
  8. Que sacrifício está sendo fazer qualquer coisa nesse computador.
    Ainda bem que meu técnico, vem esta semana.

    Filme nacional raramente vejo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, que complicado q está o seu computador. acho que esse filme vc ia gostar muito.

      Excluir

Bons comentários!