segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Zulu Araújo no Roda Viva

Assisti a entrevista com o Zulu Araújo no Roda Vida da TV Cultura. Vi que o programa ia começar e resolvi ver quem era o entrevistado. Acabei vendo todo o programa. Achei essa foto no flickr, da Letícia Lovo que foi convidada pelo programa pra fazer imagens, no link há mais imagens dela desse programa. Zulu Araújo é Presidente da Fundação Cultural Palmares. O entrevistado falou de vários dados e vários temas ligadas ao negro no mundo e no Brasil. Falou de avanços e de atrasos, como algo que já ressaltei sobre a intolerância religiosa. Religiões que andam intimidando pessoas que são de religiões como Cadomblé e Umbanda. Inclusive falou da pressão que baianas do acarajé começaram a sofrer no estado. O acarajé e as baianas do acarajé hoje são patrimônio cultural brasileiro para que fiquem protegidas. Zulu Araújo ressaltou que não acha que o negro deva só ser adepto de religiões afros, mas que todos devem respeitar todos os credos e costumes de cada religião. E que algumas religiões na Bahia começaram a dizer que os acarajés eram do demônio, porque vinham de religiões de tradições africanas.

Outra questão importante que o Zulu Araújo falou é sobre o padrão de beleza considerado bonito e que eu ressalto aqui, estimulado pela mídia. Segundo um critério, bonito é quem tem o nariz afilado, lábios finos, cabelos lisos de preferência loiros, bem como a preferência para olhos claros. Que fica difícil o negro se sentir bonito quando ele não está inserido no padrão de beleza estabelecido. É só repararmos a quantidade de pessoas que fazem plástica no nariz para afiná-lo como se isso é que fosse beleza. Eu gostei muito da entrevista que falou sobre vários assuntos como as cotas, política, governo atual. Consegui ver vários pontos de vista, inclusive alguns diferentes do meu, e repensar. Faziam as perguntas, mediados pelo Heródoto Barbeiro, Mônica Manir, editora do caderno Aliás do jornal O Estado de S. Paulo; Ivan Martins, editor executivo da revista Época; Maurício Pestana, publicitário, cartunista e presidente do conselho editorial da revista Raça Brasil e Paulo Lins, escritor e roteirista. Os dados desse programa, até mesmo trechos, pode ser encontrado no site da TV Cultura.

Youtube: Zulu Araujo - Parte 2 - Afropress


Beijos,



Pedrita

5 comentários:

  1. É absurdo a intolerância religiosa!!
    Não respeitar o espaço e a crença do outro vai contra todos os ensinamentos "cristãos". Poque as pessoa acham que para viver intensamente seu credo precisam aviltar a religião do outro???
    Absurdooooo,
    e viva o acarajé:)
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Esse lance do padrão de beleza é verdade mesmo...por isso tem um monte de menininha de 8 anos que já apresenta depressão, bulimia e até anorexia. A ditadura da beleza chegou a níveis incontroláveis e absurdos. Isso tem que acabar!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Queria ter visto. O tema é interessante e temos muito para refletir e aprender.

    Já ouvi discursos de líderes religiosos contra religiões e crenças diferentes da sua. Vejo muita gente dizer que o Brasil é um país que respeita as diversidades, mas na prática não é bem assim. Há muitos casos de racismo e preconceito, sim.

    A geração dos anos 90, que cresceu vendo a Xuxa, era ainda pior. Agumas crianças tinham vergonha de ter cabelo escuro e achavam que não eram bonitas.

    ResponderExcluir
  4. la socière, acho muito nocivo o dogma de q só o da minha religião q sobe aos céus. ou no máximo só quem acredita em cristo. acho preconceituoso e intolerante. as igrejas, inclusive a católica, deviam repensar e não falar isso nos cultos. seria melhor só quem faz o bem, independente do credo.

    carla, é muito complicado. a mulher se libertou de tantas amarras e hj é escrava de uma beleza idealizada e irreal.

    ana maria, acho q muito antes da xuxa as crianças já se espelhavam em modelos ditos bonitos, em geral europeus. e hj até europeu sofre pq não pode ter nariz grande como algumas culturas. ou corpos maiores por constituição como os alemães.

    ResponderExcluir
  5. eu ja penso diferente dele.
    como podem os negros professarem uma religião que tanto contribuiu para os mal tratos e discrinações...?
    é verdade quanto ao que eles chama de bolinho de jesus, eu particularmente não como desses bolinhos,
    eu gosto mesmo é de ACARAJES....

    ResponderExcluir

Bons comentários!