domingo, 24 de abril de 2011

A Teta Assustada

Assisti A Teta Assustada (2009) de Claudia Llosa em DVD na casa da minha amiga. Tinha acompanhado algumas matérias elogiosas sobre esse filme peruano e queria muito ver. É belíssimo! Delicado, esteticamente belo, com uma fotografia maravilhosa e um roteiro muito bem desenvolvido. Segundo a tradição, a Teta Assustada é uma doença que a mãe passa pelo leite a filha que é fruto de um estupro. Nossa protagonista aprendeu com os cantos belos da mãe todo o horror que ela viveu na época do terrorismo e sobre o seu nascimento. A menina é realmente assustada, não anda sozinha na rua. Com a morte dessa mãe, a menina precisa juntar dinheiro para enterrá-la. Outra tradição é da importância de um enterro digno. O tio quer enterrar a mãe da moça no quintal, mas ela se recusa.

É um filme muito silencioso, essa moça é de poucas palavras. As cenas são muito bem filmadas e originais. A miséria no Peru lembra muito a brasileira, hospitais precários, muita desinformação, pouco estudo. A diferença das moradias é que são em regiões assustadoramente áridas. Belíssima e talentosíssima a protagonista, Magaly Solier. A Teta Assustada ganhou vários prêmios Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Diretor e Melhor Atriz no Festival de Gramado e Urso de Ouro no Festival de Berlim.



Beijos,
Pedrita

4 comentários:

  1. A cena do desfile de presentes de casamento é muito engraçada e muito...latinoamericana.

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro filmes latino-americanos.
    Denise

    ResponderExcluir
  3. enaldo, as cenas dos casamentos são realmente ótimas.

    dê, eu tb gosto de filmes latino-americanos até mesmo pq são mais parecidos com nossa realidade, e muitas vezes infelizmente parecidos.

    ResponderExcluir
  4. vi esse filme por acaso, na tv e adorei.Tem uma cena em que ela canta, acho que a avó já tinha morrido, é muito boa. A cena da escolha do véu tb é ótima.Bjim

    ResponderExcluir

Bons comentários!