terça-feira, 25 de agosto de 2015

O Iluminado

Terminei de ler O Iluminado (1977) de Stephen King da Suma de Letras. Eu queria muito ler. Amei o filme de que comentei aqui. E fiquei com vontade de ler o livro. Uma vez achei uma edição em um sebo, mas estava muito judiada e não era uma bela edição. Como há muito texto nesse livro, era uma edição compactada com as letras meio emboladas. Não quis adquirir. Em uma dessas promoções de dia do livro, dia disso ou aquilo, adquiri com 50% de desconto essa linda edição. E que livro!

Obra Orpheus em Las Vegas (1984) de Jack Levine

Eu sempre me surpreendo com a capacidade de um autor de transformar toda a tensão através das letras. O tempo todo eu lia ansiosa, acelerada, com medo e angustiada. Como alguém consegue isso em palavras? Stephen King tem um texto inteligente, não-óbvio. E é uma obra de arte como o filme, mas bem diferente. Kubrick foi uma inteligente em criar toda a tensão que existe no livro. Jack Nicholson foi maravilhoso como Jack. Mas são obras bem diferentes. No filme eu tinha me surpreendido de ver que O Iluminado era o garoto e não o pai. No livro o protagonista é o garoto não o pai. Foi muito inteligente Kubrick focar no pai e não no garoto. Seria bem inviável ir pelo livro, as cenas com o menino são muito violentas, praticamente impossíveis de serem filmadas. Hoje a pressão para não traumatizar o ator, acho que seria praticamente impossível fazer o filme com o foco no garoto. Quero rever o filme agora, minha vizinha já disse que vai me emprestar.

Obra sem título (1962) de Sam Francis

O menino passa todo o tipo de violência. O livro mostra bem muito antes de irem ao hotel o pai já tinha quebrado o braço do garoto. Era um homem violento. Tinha perdido o emprego por espancar um aluno. A bebida tinha deixado de ser um problema quando vai trabalhar no hotel. Diferente do filme, o pai realmente escreve no hotel. O livro é praticamente o garoto que sofre todo o tipo de violência. É quase estrangulado por uma mulher gorda e nua. Arbustos no parque em formato de animais atacam. Se o diretor do filme escolhesse fazer algumas cenas, precisaria de efeitos especiais. Só conseguiria ficar bom se fosse muito bom no gênero. Kubrick foi muito inteligente em criar a tensão com um número menor de elementos. E a violência que o garoto sofre no hotel seria bem complicada de realizar e muito traumática para o ator.

Obra Wall Drawing #370 de Sol LeWitt

O hotel quer o garoto. A iluminação do garoto é tão potente que os mortos conseguem viver e aproveitar o hotel só com a energia que o garoto fornece. Então o hotel quer que o pai mate o menino no hotel para que eles possam viver livremente no hotel. Sem o menino, o hotel fica meio adormecido e só de vez em quando eles conseguem reviver e aproveitar o hotel. É muito genial toda a estrutura do livro. Mais genial ainda o quanto mostra as desestruturas familiares. A mãe teve vários problemas de auto-estima na infância com uma mãe opressora e agressora. Coincidentemente ela casa com um homem muito parecido com esse modelo agressor. Me surpreende também a compreensão de psicologia do autor.

Tanto os pintores, bem como o compositor são americanos como o escritor.


Beijos,
Pedrita

14 comentários:

  1. Gente, tenho que ler esse livro. Ganhei da minha tia o livro de uma edição antiga. Não vi o filme, morro de medo. E pelo que vc escreveu o livro é bem aterrorizador mesmo!
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adriana, leia, é fantástico. o livro é igualmente aterrorizante, mas mais longo.

      Excluir
  2. O filme foi assustador para mim. Nunca vou querer rever.
    O livro deve ser pior.

    O livro "amor no tempo do cólera" era o preferido de Gabriel Garcia Marques(li numa entrevista). O livro é lindo. Mas gostei do filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, o livro é mais extenso e as maldades com a criança são enormes.

      Excluir
  3. Esse livro está nas minhas metas de leitura. Gosto muito do filme!

    Beijos, Pri
    vintage.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Pedrita,

    Esta obra (livro/filme) é mesmo incrível. Ela não faz bem o meu gênero, mas tenho que admitir que ambos os trabalhos (livro/filme) foram muito bem elaborados.

    Beijoca

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. fatima, enorme, mas cada milímetro é fantástico.

      Excluir
  6. Só li, há já muitos anos, um livro de Stephen King "Metade Sombria" em Portugal, lembro-me que não desgostei, mas deixou-me tenso durante a leitura e nunca mais voltei a ele, tenho um primo que era um fã fiel de todas as obras dele e foi ele quem mo apresentou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, eu li um outro dele tb. esse é fantástico, mas muito aterrorizante.

      Excluir
  7. Tenho um pouco de medo da literatura do Stephen King, por isso não leio.
    Boa noite pra vc.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir

Bons comentários!