domingo, 27 de dezembro de 2015

Eliza Graves

Assisti Eliza Graves (2014) de Brad Anderson no TelecinePlay. Eu adoro esse gênero de filme e queria um para me distrair. Esse é bem pesado, não sei se foi uma boa escolha. É baseado em um conto do Edgar Allan Poe, é bem interessante e bem pesado. Mas não é regular. Tem horas que é estranho. No Brasil está com o péssimo nome Refúgio do Medo. Edgar Allan Poe é exímio em criar suspenses e muito provavelmente o desfecho final com suas revelações será surpreendente, não é diferente nesse.

Um jovem médico chega a um hospício no meio do nada. Ele logo se encanta com a bela pianista. O coordenador do lugar mostra tudo para ele e diz que é um hospício de pessoas de famílias abastadas que depositam seus familiares lá, alguns por serem realmente loucos, outros por serem inconvenientes, outros por serem homossexuais. Todos para tratamento. Esse médico tem métodos bem diferentes. Ele não concorda com os métodos violentos da época. O texto fala muito sobre o que é loucura. questiona os métodos monstruosos da época, mas ainda é atual quando muitos manicômios dopam seus pacientes para ser mais fácil de lidar com eles, sem um interesse terapêutico real.

Vou falar detalhes do filme: Logo ele descobre que o coordenador é na verdade um paciente que conseguiu mobilizar outros para prenderem os verdadeiros médicos e enfermeiros em um lugar escuro. Aos poucos descobrimos que aqueles lugares insalubres e horrorosos eram onde os pacientes ficavam, que essa equipe usava métodos monstruosos achando que curavam.

Os cenários, figurinos, são incríveis. Lindo o ator que faz o médico, Jim Sturgess. Ben Kingsley faz o coordenador do hospital. A bela jovem é interpretada por Kate Beckinsale. Alguns outros do elenco são: David Thewlis, Michael Caine, Sophie Kennedy Clark, Sinèad Cusack, Brendan Gleeson, Guillaume Delaunay e Edmund Kingsley. Agora que vi que o ator que faz o marido da pianista é filho do Ben Kingsley.
Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Achei interessante e gostaria de assistir.
    Já trabalhei como Clinica(porque paciente psiquiátrico, também tem problema clínico) num Hospital Público Psiquiátrico e não vi nunca nada da ideia que as pessoas têm, de Hospital Psiquiátrico. Minha experiência, só não foi boa, porque, achei dificílimo lidar, clinicamente, com esse paciente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. os manicômios são horríveis. veja o filme bicho de sete cabeças. eu tb teria dificuldade de lidar.

      Excluir
  2. Pedrita,

    Tive de excluir o primeiro comentário porque ele saiu truncado, o que eu quis dizer é o seguinte:

    Assisti a este filme esperando mesmo que o enredo se desenvolvesse como se desenvolveu (exceto pelos detalhes, claro). É recorrente nas artes a idéia do hospício "governado" por loucos, então eu presumia que devia haver algo assim nesta obra. O curioso é que há uma certa correlação entre os personagens do Ben Kingsley neste filme, e o que ele fez no 'Ilha do Medo'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, tudo bem marly, já excluí definitivamente
      o filme é bom, mas irregular. só depois que fui ver os filmes que falei desse autor no blog que lembrei de ilha do medo e pensei o mesmo q vc.

      Excluir
  3. Gostei do filme e da surpresa final.

    O filme também é conhecido como "Refúgio do Medo" (Stonehearst Asylum).

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hugo, é bom. falei do nome no brasil no texto.

      Excluir
  4. Oi Pedrita,
    Não conhecia esse filme.
    Feliz 2016!
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  5. O filme deve ser maravilhoso amei a dica, tenha uma semana abençoada,
    Canal: https://www.youtube.com/watch?v=44dbnHrYIP4
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nequéren, é bom. boa semana pra vc tb.

      Excluir

Bons comentários!