quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O Enforcado

Terminei e ler O Enforcado (1931) de Georges Simenon da LP&M. Minha irmã que me emprestou esse livro. Eu só tinha lido outros dois dele anteriormente: Morte na Alta Sociedade e Uma Sombra na Janela. O nome original desse é Le pendu de Saint-Pholien. Apesar de ter lido pouco desse autor, gosto muito do seu estilo. As frases são enxutas, mas trazem tanto significado que me surpreendem. Gostei demais da capa e é exatamente essa edição que li.

Obran Courtyard in Venice (1895) de William Degouve de Nuncques
Vou falar detalhes da obra: Essa obra me entristeceu bastante. Logo no início já ficamos tristes com o inspetor Maigret. Ele fica curioso sobre um homem, compra junto com ele uma valise igual e troca em um bar numa estação de trem na Holanda. Segue esse homem que se mata um pouco depois. Cheio de culpa começa a investigar e descobre que esse homem não é o que está no passaporte, já que o homem do passaporte já morreu. E o desfecho é mais triste ainda. Menciona esse rituais estranhos entre pessoas cultas. Tudo muito triste.

Obra Viaduto de Paul Delvaux

Anotei alguns trechos de O Enforcado de Georges Simenon. Logo a primeira frase já é simples e instigante!

“Ninguém percebeu o que estava acontecendo.”

“Ela também tinha os olhos cinzentos, as pálpebras fatigadas dos que perderam a coragem, narinas contraídas, tez excessivamente amarelada.”

“Os pobres estão habituados a conter o seu desespero porque a vida os espera, o trabalho, as exigências de todos os dias, de todas as horas.”

“Decididamente pertencia àquela categoria homens que se agarram às pessoas mesmo sem serem convidados, recusando-se a perceber que não são bem-vindos.”

Tanto os pintores como o compositor são belgas.


Youtube: Flor Peeters (1903-1986) - Symfonische Fantasia op.13



Beijos,

Pedrita

9 comentários:

  1. Bom dia querida!!!

    Olha, nao sei se o leria, já pelo título. Tive um amigo que se enforcou e é difícil de entender este ato até hoje.

    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Sobre o "enforcado" falo mais tarde. Como a Georgia também tive um amigo, que se enforcou. Tenho problemas com a net, por isso, neste momento, só quero esclarecer, que a Herta Müller merece o Prémio Nobel. Eu é que a detesto como pessoa!!!
    Saiu agora mesmo um livro dela, que vou também ler.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, vou colocar AGORA na minha lista!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Pedrita.

    Sabe, nunca li nada do Simenon. Sempre vejo os livros do Inspetor Maigret mas nunca li nada.
    Há uns cinco anos atrás quando fui para a Italia assisti um seriado com o Maigret e eu gostava muito.
    Existem tantos autores interessantes que eu nunca li. Preciso começar a anotar os nomes senão eu esqueço.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir
  5. Triste mesmo Pedrita, eu não consigo pensar em ler um livro, ou ver um filme sem final feliz, isso gera muita discussão em casa, mas é um gosto meu, gosto de viajar nos romances, pensar que as coisas dão certo pelo menos na ficção!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, novo leitor por aqui!
    Por que não visitei seu blog antes, heim? Adoreiii isso aqui! Voltarei mais vezes, ok?

    Beijos e já te sigo!

    ResponderExcluir
  7. Sincronicidade, minha querida Pedrita!
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  8. georgia e ematejoca, posso entender. o livro discute realmente esses movimentos coletivos de suicídio.

    elvira, vc deverá adorar.

    maycon, obrigada.

    rodrigo, realmente.

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto muito do Inspetor Maigret. Acho bem mais real que o Hercule Poirot (de que eu gosto também).
    Denise

    ResponderExcluir

Bons comentários!