sábado, 4 de dezembro de 2010

Palestra sobre o Restauro do Órgão da Catedral Anglicana de São Paulo

Fui a palestra sobre o Restauro do Órgão da Catedral Anglicana de São Paulo. Eu sempre tive fascínio por órgãos, pelo som do órgão, mas não tinha ideia que órgãos de igreja tivessem tanto detalhes. Esse órgão conseguiu o restauro pela Lei Rouanet. O Reverendo Aldo, responsável pela catedral, disse que a comunidade terá o órgão de volta e que vão realizar os concertos, como a igreja está sempre aberta ao público, a comunidade poderá, de graça, ver apresentações de grandes músicos. E a comunidad, ele diz qualquer um, de qualquer credo, religião ou mesmo não religião. A palestra técnica foi exemplificada pela curadora Elisa Freixo, não só no intuito de esclarecer, como para dar satisfações a quem desejasse do que será feito com o órgão. Com fotos da parte interna do órgão, Elisa mostrou como está danificado. Ela disse que esse até que não está tão danificado, porque pelo menos as peças tiradas estão por ali mesmo com raras exceções. Elisa acompanha vários restauros inclusive nas cidades históricas mineiras onde mora como Mariana. Elisa mostrou os tubos internos, falou que um órgão bem restaurado costuma levar uns 10 anos pra precisar de nova afinação. Ela mostrou que algumas pessoas que fizeram restauros parciais, ou mesmo tocavam, foram na caixa interna e entortaram tubos pra tentar a afinação danificando o instrumento. Ela mostrou também que tiravam tubos que provavelmente estariam apitando e como ela disse, o órgão passou a não ter mais aquela nota. Depois a produtora do projeto, a Priscila Paes, deu esclarecimentos a todos de como será a parte administrativa e financeira. Até agora o projeto só tem 50% do patrocínio feito pela Aliança Navegação e Logística e procuram outros patrocinadores. O órgão será desmontado e transferido para Blumenau, onde um organeiro alemão, o Georg Jann, fará o restauro. Ele tem uma oficina lá perto. O órgão ficará aproximadamente um ano sendo restaurado. Tentarão inclusive buscar mais informações sobre sua história. Possivelmente esse órgão é francês de 1870. Veio ao Brasil para a primeira catedral anglicana em São Paulo. Depois construíram essa catedral especialmente pensando no tamanho do órgão para transferi-lo. Elisa Freixo acredita que o restauro possa ser feito em um ano e que no final do ano que vem estará de volta para o concerto de inauguração. Mas como um restauro não é algo matemático, só com o tempo é que saberemos quando irá retornar para a catedral. Havia uma exposição de fotos que ficará na catedral essa semana, quando o órgão voltar essa exposição volta e colocam as fotos do processo de restauro e de como o órgão ficou. Estou curiosa.

Vou colocar um vídeo com concertos em dois órgãos estrangeiros. Um enorme e um tamanho mais normal.










Beijos,









Pedrita

2 comentários:

  1. Bacana essa sua iniciativa de falar deste tipo de atividade. Muito bom, mesmo.
    Aqui as coisas são muito diluidas. A turma de estudantes( na sua maioria, pobres) fivou indignada com o que os curadores da apresentação de musica instrumental no interior da bahia fizeram: simplesmente cobrarm 2 reais por pessoa para um evento patrocinado pela Petrobras e de incentivo a lei Rouanet. A unica coisa que acreditamos foi que eles fizeram isso para impedir o acesso da população ( na sua maioria Pauperrima) da cidade... para elee não estragarem os moveis do auditorio da UFRB....

    ResponderExcluir
  2. fatima, tudo depende de como é esse projeto da petrobras.

    ResponderExcluir

Bons comentários!