terça-feira, 6 de abril de 2021

Elegia Caipira

Asssisti Elegia Caipira (2020) de Ron Howard na Netflix. Insisti com esse filme porque concorre ao Oscar. Glenn Close está irreconhecível, mas muito parecida com a mulher que interpreta. O filme é baseada na história de J. D. Vance que foi transformada em autobiografia.

O protagonista cursa direito. Está na fase de entrevistas para estágio. Ele tem três empregos e mesmo assim as contas não fecham, se conseguir um estágio, a remuneração é bem melhor. Pelo jeito nos Estados Unidos os estágios pagam com mais dignidade que no Brasil. Ele recebe então o telefonema da irmã, sua mãe foi internada com overdose de heroína. Me incomodaram muitos os diálogos sobre essa mãe doente. O tempo todo a mãe é criticada por não tentar sair dessa, como se ela fosse culpada por ser dependente de substâncias químicas. No final do filme falam que ela conseguiu ficar sóbria, mas já sabemos que é sempre um dia de cada vez e que é comum recaídas. É uma dificuldade eterna não se viciar novamente. Acusar é muita covardia. Sim, viver e conviver com dependentes não é fácil, mas acusar faz tudo ficar muito pior.

Ele volta a sua cidade natal interiorana e passa a lembrar de sua vida e da família disfuncional. O filme quer reforçar a tese se ele vai ou não largar a família e tentar um futuro melhor, ou se vai desistir e aceitar viver no interior, aceitar aquele destino de poucas possibilidades e muita violência. Acho que arrasta muito o suspense se ele vai ir para a entrevista no dia seguinte, ou ficar cuidando da mãe. Amy Adams interpreta a mãe. Ele é interpretado por Gabriel Basso. Na adolescência por Owen Aztalos. Sua irmã por Haley Bennett. Sua namorada por Freida Pinto.

J. D. Vance e a avó.

 
Beijos,
Pedrita

16 comentários:

  1. Oi Pedrita, gostei da dica de filme. Nossa, a Glenn Close está mesmo irreconhecível. Mesmo o suspense sendo arrastado eu fiquei com vontade de assistir. Vou colocar aqui na minha lista.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chris, é mais ou menos. irreconhecível mesmo. assusta.

      Excluir
  2. Acredito que seja um filme muito agradável de assistir.
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  3. Parece ser bom, dramalhão sobre vício e escolhas, vou dar uma espiada.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. É um bom drama.

    Ele tb tem o título de "Era uma Vez um Sonho".

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hugo, achei mais ou menos. prefiro o nome original. o brasil resolveu colocar esse esquisito, era uma vez um sonho. o rapaz não desiste da entrevista de estágio, então ele não abandonou os sonhos.

      Excluir
  5. Sempre com boas sugestões!:)
    -
    Coisas de uma Vida
    -

    Beijinhos-Boa noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cidália, essa sugestão veio da lista dos filmes indicados ao oscar.

      Excluir
  6. Glenn Close é uma ótima atriz, não me conformo dela ainda não ter levado o Oscar.
    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Pedrita, obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  8. Fiquei curiosa com essa indicação e já quero conferir.
    Também tenho ranço com quem aponta o dedo, parece que vivemos numa época de total intolerância e nenhuma empatia 🙁

    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, exatamente. precisamos acolher. julgar é fácil.

      Excluir

Bons comentários!