quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Madame Oráculo de Margaret Atwood

Terminei de ler Madame Oráculo (1976) de Margaret Atwood da Rocco. Mais um livro doado por uma amiga. Por esses livros que passei a amar essa autora. Gostei muito da edição e dessa capa que expressa exatamente a obra. É o terceiro livro dessa autora e bem diferente dos outros que li, com estilo bem diverso, mas igualmente impactante.

O Marcador de Livros é uma parte da obra As Quatro Estações de Alphonse Mucha que ganhei de presente de um amigo.

Atenção, não leiam a orelha porque conta o livro inteiro. Eu nunca leio porque já aconteceu de saber o final do livro então só leio depois que terminei.
 

Obra Etapas do Labirinto de Sylvie Bouchard

Eu fiquei absurdamente impactada com a obra, teve inacreditável ligação com a minha história, foi muito desconcertante. Claro que o começo não tem nada a ver comigo, demoramos a entender que a protagonista foi dada como morta, ela forjou a própria morte e ficamos tentando entender o que aconteceu.


Obra Antes da Chuva em Rachland (1999) de Doris McCarthy 

A trama segue então para a infância pavorosa da protagonista. Onde uma mãe insuportável faz de tudo pra desestruturar a filha. Sempre a filha é errada das maldades que praticam com ela, ela é sempre culpada de todo mal que lhe fazem. Assustador! 

Obra Corrida de Ratos (1978) de Pierre Gauvreau

Eu achei que ela se libertando daquela história horrorosa ela conseguiria ter uma vida digna, mas infelizmente não é o que acontece. Ela se torna uma famosa escritora sob pseudônimo de livros de fácil assimilação, com heroínas, moças nas torres, depois livros góticos. Ela tem relacionamentos muito conturbados. O que ela se casa só vive enfiado em projetos subversivos inofensivos, que nunca acontecem e são largados no meio. Quando o projeto dá errado ele entra em depressão, até achar um novo projeto mirabolante e vive nesse ciclo. Às vezes arruma algum trabalho de professor, mas no geral vive às custas da mulher, mas essa mulher não quer contar como ganha a vida, porque sabe que o marido vai menosprezá-la por isso. Olha a ironia, ela que sustenta tudo, mas ele muito provavelmente vai criticar a mulher pelo sustento deles, o que era muito provável que acontecesse realmente. Ele, um inútil sonhador, ia desvalorizá-la com o que dava os sustento a eles. Inclusive ela insiste em um apartamento melhor, com um pouco mais de conforto, e ele aceita e com a cozinha melhor decide que ela vai cozinhar pra eles. Claro né? Não basta sustentar.
Obra Alex Colville

Gostei muito que o livro termina em aberto. Ela realmente faria o que ela pensou? Ou ela ia continuar sua vida sem voltar? E muitos outros mistérios que ficam em aberto. Fantástico! Não queria fazer outra coisa e só ler o livro! Genial!

Beijos, 
Pedrita

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Z

Assisti Z (2019) de Brandon Christensen no TelecinePlay. Pronto, voltamos aos fantasminhas! Pra variar tem spoiler no título brasileiro: Amizade Maldita. Esse é bem assustador. Vocês sabem que eu vejo muito como ficção científica, não costumo me assustar, mas esse me pegou de jeito. É bem forte!

O fofo do garotinho tem um amigo imaginário, os pais acham uma graça até que começam a achar que não é tão fofo assim. Que algo estranho está acontecendo. Como disse, é bem assustador. O fofo do garotinho é interpretado por Jett Klyne. Os pais por Keegan Connir Tracy e Sean Rogerson. O psicólogo por Stephen McHattie.
Beijos,
Pedrita

terça-feira, 21 de setembro de 2021

Exposição Fluir é Resistir

Vi a exposição Fluir é Resistir na Casa Fluida. É um novo bar que inaugurou em São Paulo com uma mostra de 29 artistas com diversas técnicas: Ai Wei Wei, Alex dos Santos, Alex Flemming, Alfredo de Oliveira, Amelia Toledo, Antonio Manuel, Cildo Meireles, Cintia Phiebig, Cláudia Lopes, Claudio Sousa, Eduardo Srur, Farnese de Andrade, Fernando Spaziani, Filite, Gal Oppido, Gilmar Antunes, Heitor dos Prazeres, José Luiz de Souza, Junia Melluns, Lucille Kanzawa, Maria Bonomi, Milton Jeron, Paulo Mattos, Regina Silveira, Rosana Antunes, Sergio Costa, Tide Hellmeister e Zizi Pedrossa. Algumas obras são interativas como essa em um ambiente, fantástico!

Instalação de Paulo Mattos

A curadoria é de Fernando SpazianiSão vários andares com obras distribuídas neles. O espaço é muito charmoso e aconchegante.

Obra de Alex Flemming

Fotos de Matheus Nahas

Tem obras na parede como essa linda do Filite. A Casa Fluida fica em um casarão na Bela Vista, que foi reformado mas continua com as características da época misturada a objetos modernos. Muito lindo!

Grafite de Filite 

A mostra tem também fotografias como essa do genial Gal Oppido.

Foto de Gal Oppido

Angustiantes essas obras de Fernando Spaziani, eu que amo bonecas sofro com elas dilaceradas assim. Uma amiga ia amar, ela faz obras com pedaços de bonecas também, pena que ela desativou os blogs dela. Aqui tem umas instalações dela com bonecas.

Obras Identidade Plástica de Fernando Spaziani

A exposição Fluir é Resistir fica em cartaz até janeiro na Casa Fluida, quando entra outra mostra. Para ver as obras é gratuito.

Obra A Arte Salva de Edu Srur

Beijos,
Pedrita

domingo, 19 de setembro de 2021

Vidas em Papel

Assisti Vidas em Papel (2021) de Can Ulkay na Netflix. Que filme lindo! É sobre um catador de papel, ele coordena uma equipe de adultos, jovens e crianças que pegam lixos pra reciclar, paga cada um e vende. 

Ele (Çagatay Ulusoy) está muito doente, aguardando um transplante de rim. Para isso junta dinheiro, quando a fila do doador chegar nele, ele vai precisar de dinheiro pra pagar a cirurgia.
Até que aparece uma criança (Emir Ali Dogrul) toda machucada, apanhou de seu padrasto e ele começa a cuidar do garoto. Como a maioria da equipe não sabe a sua data de nascimento, as festas de aniversário são para todos. É tudo muito lindo! Lindo também os amigos do protagonista. O que o acolheu quando criança (Turgay Tanulku) e ensinou tudo e seu amigo atrapalhado (Ersin Arici).
O filme faz muito pensarmos sobre crianças, moradores de rua, reciclagem de lixo, solidariedade, união, empatia e família que a gente cria. É muito profundo.
Beijos,
Pedrita

sábado, 18 de setembro de 2021

Se Eu Ficar

Assisti Se Eu Ficar (2014) de R.J. Cutler no TelecinePlay. É um drama romântico muito, mas muito trágico. A trilha é bonita e está no Spotify. Eu adoro a Chloe Grace Moretz e recentemente vi o ator que faz o par romântico com ela interpretado por Jamie Backley.

Uma jovem violoncelista chama a atenção de um jovem roqueiro na escola. Ele tem uma banda. O filme é baseado no livro de Gayle Forman que não entende nada de música clássica e romanceia violoncelistas. Acha que eles só tocam solo e música de um único período estético.  Não tem a mínima ideia que violoncelistas tocam em orquestras, duetos, quartetos, octetos, enfim, uma equivocada. Também não sabe que jovens violoncelistas participam de concursos. Não  vou dar spoilers.


Beijos,
Pedrita

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Inabitável

Assisti ao curta Inabitável (2020) de Matheus Faria e Enock Carvalho no Canal Brasil. Eu quis ver esse filme quando esteve em cartaz no Festival de Cinema de Gramado no ano passado e ganhou Melhor Filme pelo Júri, Melhor Roteiro, Prêmio Canal Brasil de Curtas e Melhor Atriz para a incrível Luciana Souza. mas não consegui. O curta vem viajando e impressionando pelo mundo. Com muitos prêmios: Prêmio Revelação no Cinélatino Rencontres de Toulouse, Prêmio Borboleta de Ouro e Favoritos do Público no Kinoforum, Melhor Interpretação pra Luciana Souza no Festival Mix Brasil, e muitos outros. Fiquei muito feliz quando vi pelas redes sociais que vai passar no Canal Brasil. Assisti voltando na primeira data pelo controle remoto.

É muito lindo e triste! Uma  mãe procura a sua filha que saiu à noite e não voltou pra casa. Ela vai na casa da amiga, um pouco longe. A amiga liga pra algumas pessoas, mas ninguém sabe da jovem. Muito lindo que a amiga da filha vai com a mãe pra ajudar a ver os objetos da filha pra ver se tem alguma pista. Lindas as atrizes que interpretam as amigas Sophia William e Eduarda Lemos. Nós só vemos a filha quando a mãe acha uma linda foto da filha nos objetos dela.
Uma amiga do bairro também ajuda interpretada por Erlene Melo. Lindo as duas acompanhando a mãe na busca, pregando cartazes, na polícia, na identificação de um corpo. Me emocionei com essas amigas que não abandonam essa mãe angustiada. Também muito bonito quando a amiga pergunta se de repente ela não tinha um namorado que não contou e a mãe disse que a filha contava tudo e a amiga da filha confirma. Pareciam que mãe e filha eram muito unidas. A mãe acha um objeto estranho, que esquentava e essa traquitana dá uma surrealidade a trama.

Beijos,
Pedrita

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

The Halcyon

Assisti a série The Halcyon (2017) de Charlotte Jones na ClaroTV. Era pra ter vingado e ter outras temporadas, mas não vingou e as continuações foram canceladas. É uma série sobre hotéis, há várias. O diferencial é que essa é ambientada na Segunda Guerra Mundial, em Londres.

Logo o dono do hotel (Alex Jennings) morre. Ele tinha um casamento de fachada e vários casos extra conjugais bastante ruidosos. A série tem alguns problemas, falta naturalidade nas tramas que acontecem bem artificialmente. Um dos filhos vai ser piloto (Jamie Backley) e o outro vai trabalhar com documentos secretos (Edward Bluemel). O pai deles era simpatizante do nazismo e de Hitler, difícil que um jovem filho da oposição teria acesso e emprego com documentos secretos a favor de Londres. Os documentos acabam vazando. Acham que foi alguém que o jovem tinha relações, mas é bem furado esse argumento. Um jovem que vive em um hotel, onde qualquer quarto tem acesso funcionários, infiltrados, não seria difícil saber os segredos secretos. O serviço secreto não era tão descuidado assim.
Eu gosto dos personagens, mesmo que com uma certa artificialidade nos acontecimentos. No hotel tem o pai (Steven Mackintosh) e a filha (Hermione Corfield) que cuidam do seu funcionamento.  Alguns outros do elenco são: Matt Ryan, Liz White, Akshay Kumar, Charles Edwards, Lauren Coe, Ewan Mitchell e Max Klein. A produção é bem cara, são bem feitas as poucas cenas de bombardeiros em Londres, as festas, os números musicais, os figurinos. 



Os números musicais são muito bons. Há uma banda que toca no hotel, mas alguns personagens vão às vezes em casas noturnas com mais música ao vivo e outros músicos. Muito bom ouvir música ao vivo. A cantora é interpretada por Kara Tointon e o pianista e seu par amoroso por Sope Dirisu.

Beijos,
Pedrita 

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Malevolent

Assisti Malevolent (2018) de Olaf de Fleur Johannesson no TelecinePlay. Adorei! Cheio de fantasminhas e com um bom roteiro. No Brasil resolveram interpretar o roteiro que colocaram o título A Maldição dos Esquecidos, esqueçam, porque é livre interpretação de quem inventou o título.

Um grupo engana famílias dizendo que afastam os fantasminhas da casa. A linda jovem (Florence Pug) começa a de fato ver fantasminhas, a pesquisar sobre sua mãe e a suposta loucura dela.

Ela não quer aceitar um trabalho em uma mansão onde crianças foram mortas. Mas o irmão (Ben Lloyd-Hughes) que se meteu em confusão e precisa de dinheiro, a obriga. Claro que dá ruim! É um intuito desses filmes. Muito triste a história dessas crianças. A mansão por fora é linda, não dá pra saber se o interior é na mansão ou em cenário, muito bem feito.
A personagem da Celia Imrie que contrata os jovens. Ainda no elenco estão Scott Chambers, Georgina Bevan, Nial Greig Funton e Stephen McCole.

Beijos,
Pedrita

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

M-8 Quando a Morte Socorre a Vida

Assisti M-8 Quando a Morte Socorre a Vida (2018) de Jeferson De na Netflix. Queria muito ver esse filme! Que filme lindo! Que filme triste!

Um jovem acaba de entrar na faculdade de Medicina. Ele se incomoda na aula de anatomia, onde é o único negro da turma, mas todos os corpos para estudos são negros. Gosto demais do Juan Paiva e da Mariana Nunes. A cena da mãe falando pro filho não desistir, que texto, que interpretação!
Ele acaba tendo contato com esses grupos de mulheres que procuram seus filhos desaparecidos. Esse núcleo é encabeçado pela Tati Tibúrcio. De cortar o coração ele querendo ver as fotos para ver se alguém é o M-8. M-8 era a identificação do corpo que estava na aula de anatomia interpretado por Raphael Logan.

O elenco é inacreditável, eu ficava sem fôlego a cada aparição. Trabalham na faculdade os personagens de Zezé Motta, Aílton Graça, Alan Rocha, Pietro Mário e Henri Pagnoncelli. Fazem participações Léa Garcia, Dhu Moraes, Malu Valle, Rocco Pitanga, João Acaiabe, Lázaro Ramos e Aramis Trindade. Alguns outros do elenco são Giulia Gayoso, Bruno Peixoto e Fábio Beltrão.
Beijos,
Pedrita