quinta-feira, 13 de maio de 2021

Sans Toit ni Loi

Assisti Sans Toit Ni Loi (1985) de Agnès Varda no Festival 125 Anos do Cinema no Telecine Cult. Para variar os filmes da Varda no festival não foram pro Now, Telecine. Eu tenho gravado quando quero ver algum pra não perder. Faz muito tempo que não vejo mais filmes na hora que passa. Quando eu assisti ao documentário Varda por Agnès fiquei muito instigada em ver esse filme que no Brasil está com o nome de Os Renegados, gosto do nome original Sem Abrigo, Sem Lei.

É sobre uma jovem mochileira. Começa do fim pro começo. Ela é encontrada morta em uma plantação. E começa a voltar na história. Como ela morreu, as pessoas por quem ela passa vão contando sobre ela. Ela dormia em uma barraca, pegava pequenos trabalhos pra comer, pedia também. Varda contou que as pessoas se incomodavam porque a jovem vivia suja. É inverno, um frio danado, ela vivendo de mochileira, não se lavava. Varda mistura atores e pessoas locais.

A jovem vai se virando como pode. Interessante como a diretora mostra vários comportamentos sociais aceitos como colocar uma avó em asilo pra ficar com tudo dela, mas o da jovem mochileira não é aceito. Nem todo trabalho que oferecem a jovem ela aceita e há quem a julgue por isso. O momento que ela se acha mais é vivendo em um local de imigrantes, a maioria viajou, só está um. Nada é arrumado demais, ela trabalha na plantação, mas quando os imigrantes homens chegam, não querem ela lá. Como vai ficando cada vez mais frio, ela vai ficando cada vez mais debilitada. Muito triste o filme.
Sandrine Bonnaire está incrível como a Mona. Ela se entregou de modo impressionante ao personagem tão pouco convencional e a todas as adversidades nas gravações. Pelo personagem a atriz ganhou César e o filme ganhou vários outros prêmios como Melhor Filme no Festival de Veneza. Ainda no elenco Macha Méril, Yolande Moreau e Stéphane Freiss.

Beijos,
Pedrita 

10 comentários:

  1. Decerto que será um filme fascinante de assistir.
    .
    Abraço de amizade poética
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Pedrita, gostaria de ter 1% do seu conhecimento sobre esses temas maravilhosos. Obrigado pela oportunidade sempre de aprender com você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luiz, eu estou sempre pesquisando e tentando aprender.

      Excluir
  3. Vou assistir. Voce sempre teve grande sensibilidade para indicar os filmes realmente bons, que trazem alguma coisa. Boa semana! BJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. camille, eu sou muito curiosa culturalmente e essa diretora é muito impressionante.

      Excluir
  4. Pedrita,
    Tenho interesse no documentário Varda por Agnés. Você sabe onde encontro?

    ResponderExcluir
  5. Muito, muito triste esse filme 😢😢
    Já começa triste pelo fim.
    Quando começa a narrativa eu fiquei estarrecida como houve a transição da adolescente em busca de liberdade e autoconhecimento na garota encontrada no gelo.
    Confesso que como tenho TOC de limpeza, a sujidade me incomodou, MAS a forma instigante com que foi mostrada a vida da mochileira prendeu a atenção e foi absolutamente artístico.

    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, é ruim a gente já saber q ela vai morrer logo depois. a liberdade fica complexa na gente. filme surpreendente. nem me fale. varda disse no documentário q a sujeira da garota incomodava os locais.

      Excluir

Bons comentários!