quinta-feira, 27 de outubro de 2022

A Viagem de Pedro

Assisti A Viagem de Pedro (2022) de Laís Bodansky no TelecinePlay. Fiquei eufórica quando vi que já estava disponível no canal. Que filme! Eu amo essa diretora, é genial e esse filme igualmente incrível. Cauã Reymond arrasa como Pedro I.

O filme é ambientado em uma lacuna da história, pouco se sabe sobre a ida de Dom Pedro I a Portugal. Não deve ter sido uma viagem fácil, primeiro porque essas viagens de navio eram muito longas, já deviam ser difíceis naturalmente, imagine nesse contexto histórico.
Dom Pedro resolve levar a sua filha para assumir o trono de Portugal. Seu irmão ia assumir o trono e Dom Pedro acha que é por direito dele e de sua família estar no trono de Portugal. Aquele Dom Pedro que deu o grito de independência de Portugal, achava que ainda tinha direito ao trono. Pra isso larga no Brasil seu filho de 5 anos, que assume o trono por aqui, na verdade terceirizando o trono por seus tutores. Pra ver como Pedro I não estava nem aí pro Brasil e para seus filhos.

Laís Bodansky cria um Dom Pedro atormentado. Deve ter sido uma viagem difícil por inúmeros motivos. Imagino como deve ser difícil pra Pedro a viagem, um homem demasiadamente agitado, com muitos conflitos internos. Pra piorar, ele estava com sífilis e com problemas de ereção. Para um homem compulsivo sexualmente devia ser insuportável. Nos delírios, ele tem recordações do passado.

O filme mostra toda a arrogância real, rara na cultura e na história que aprendemos, que em geral romantiza a monarquia. O jeito de superioridade com os negros na viagem, negros que tinham que ser livres porque na Inglaterra não tinha mais a escravidão. O elenco é inacreditável e diverso em culturas e idiomas. O filme tem vários idiomas com legendas. Dois atores que amo e são lindíssimos estão no elenco: Welket Bunguê de Guiné-Bissal e Isabel Zuáá de Portugal. Outros são, Victoria Guerra e João Lagarto de Portugal, Luise Heyer da Alemanha, Calvin Denangowe do Congo, Frances Magee da Irlanda, Sergio Laurentino, Rita Wainer, Luiza Gattai, Isac Graça e Celso Frateschi. Fiquei muito emocionada de ver a Sonia Guedes em uma participação. Imagino que tenha sido um de seus últimos trabalhos. Essa diversidade de nacionalidade no elenco foi fundamental para o filme, deu muita veracidade.
Beijos,
Pedrita

6 comentários:

  1. Primeiramente eu tenho que registrar que sempre fico feliz quando tomo conhecimento de boas obras culturais brasileiras. Acho que temos tanta possibilidade de criar obras de valor quanto qualquer outro povo. Quanto ao Dom Pedro 1º, ele era realmente compulsivo e talvez um pouco doidivanas. Mas historicamente foi importante para o Brasil, por ter declarado a independência do país e outorgado a nossa 1ª constituição.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, temos muitos assuntos mesmo pra virar filme.sim, fiquei imaginando o transtorno que deve ter sido o dom pedro dentro de um navio em uma longa viagem.

      Excluir
  2. Essa é uma lacuna na história realmente pouco comentada e é interessante observar as camadas através de vários pontos de vista: político, social, econômico e inter pessoal.
    Elencão esse heim?
    Já levo a indicação.

    Bjs Luli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, ajudou a contar a história. elenco incrível mesmo. vc vai gostar.

      Excluir
  3. Tenho tido dificuldade de escolher o que assistir. Muitas opções. Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, eu estou assim agora pq assinei globoplay e por sorte estou trabalhando bastante. mas andava com falta do q ver antes.

      Excluir

A arte salva!