terça-feira, 24 de maio de 2022

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Visitei a  Biblioteca Parque Villa-Lobos. Há uns anos vi uma matéria, não sabia que o parque tinha uma biblioteca e quis conhecê-la. Existe há 7 anos e eu nunca tinha ouvido falar. Bibliotecas foram as provedoras das minhas leituras por muitos anos, quando não tinha condição alguma de adquirir exemplares. Era sócia de várias. Amei que essa tem muitos títulos novos, lançamentos. Qualquer um pode ser sócio se inscrevendo e pode levar 5 exemplares pra casa e ficar por 15 dias. Pode renovar, mas não peguei detalhes e regras da renovação. Eu não leio um livro a cada 15 dias, com raras exceções, mas para livros infantis que são muitos, é uma ótima opção.

Há internet livre sem precisar logar, computadores pra usar, lugares pra ler. Há salas que podem ser usadas pra home-office, salas com televisão.

No terceiro andar há livros em braile e áudios livros. Também há computadores adaptados para deficientes visuais. Não entendi porque esse espaço não é no térreo, já que não há rampas, só escadas e um único elevador que cabe cadeira de rodas. As escadas são sinalizadas, com vários alertas para deficientes visuais.

No site oficial diz que há um Orquidário, mas não tem vidros como na foto, falam que está em reforma, mas parece totalmente abandonado, com tudo enferrujado. Disseram que tem muito tempo que não existe. No site até falam como cuidam das orquídeas que como vocês percebem não existem. Eu não sou apaixonada por esse parque que não mudou muito. Não há placas de sinalização, foi um custo descobrir que lado estavam o Orquidário e a Biblioteca que é ao lado oposto a região mais arborizada. Deixei pra outro dia seguir para o lado arborizado. Falta de comunicação é uma regra no local. Tudo falta. Tudo tem que adivinhar ou torcer pra achar alguém do parque pra perguntar. Eu levei livro pra ler, não queria ler na biblioteca porque se estava ao ar livre, queria ler ao ar livre, mas nada era aconchegante ou convidativo. Bancos ao sol e mal cuidados, pouquíssimas árvores, alguns poucos guardas, preferi vir embora. O estacionamento custou R$ 6, 50 por meia hora, R$ 13,00 por hora. Então para pegar e devolver o livro pode sair R$ 13,00 ou R$ 26,00, não compensando. Eu iria pegar um único livro a cada 15 dias, aí compensa mais comprar os livros nas feiras virtuais. Dá pra ir de transporte público, mesmo o metrô sendo perto aqui de casa, ia demorar muito porque a mudança de estação para o trem é longa e a caminhada até o parque um pouco longa também e a região perto da estação ao lado do parque não é lá muito segura. Talvez aos fins de semana seja melhor.
Dá pra alugar essas bicicletas coletivas e as tradicionais, não perguntei os preços. Uma família alugou quatro bicicletas, imagino que o passeio deva ficar bem caro. O melhor é estacionar nas ruas próximas, mas sozinho pode não ser muito seguro e levar lanches para um piquenique para reduzir os custos. Há locais pra lanches e alimentos, mas os preços eram bem salgados, muito acima de outros espaços. E os lugares pra comer feios, sem bancos, mesas, ao sol, nada simpático.

Pelo vídeo dá pra ver como o local onde fica a biblioteca é mal cuidado, sem vegetação, sem árvores, feio mesmo.

Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Deve ter sido ótimo, Pedrita, mas também reparei no vídeo o péssimo estado ao redor...Triste.

    ResponderExcluir
  2. Tal como quando era criança e adolescente em que lia quase exclusivamente obras emprestadas de uma biblioteca itinerante da fundação Gulbenkian que então passava mensalmente pelas localidades no campo numa carrinha transformada para o efeito, voltei há pouco meses a ler sobretudo obras requisitadas na biblioteca regional situada aqui na cidade da Horta em vez de comprar livros, poupo dinheiro e já não sobrecarrego o espaço de casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, acho fascinante biblioteca itinerante. na adolescência eu usava a da escola. aqui muitas bibliotecas foram desativadas.

      Excluir
  3. Saudades de visitar uma biblioteca. na minha adolescência também vivia de biblioteca e amava os espaços, a tranquilidade deles... talvez esse amor pelo espaço das bibliotecas é que esteja me motivando a ter uma casa com mais estantes que qualquer outro tipo de móvel, me da paz estar entre estantes de livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pandora, tb tenho fascínio por bibliotecas. tb amo ter muitas estantes na decoração.

      Excluir
  4. Tbm sou apaixonada por bibliotecas!
    Amava muito a do colégio que apesar de público tinha uma bibli bem cuidada e de respeito.
    Passei a infância e adolescência entre prateleiras e mesinhas convidativas.
    Amava frequentar a da Lapa e a de Pirituba, essa última pertinho de casa.
    Não conheço essa do Parque Villa Lobos.
    Costumava andar de bike lá
    Faz muito tempo que não vou
    Ouvi mesmo falar que as imediações estão perigosas :(
    Pena que o parque está descuidado
    Pena que o orquidário está abandonado

    Amei seu post completo e super bem escrito ❤

    Bjs Luli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, tb amo bibliotecas. muito triste o abandono do parque. na região da biblioteca.

      Excluir
  5. Oi Pedrita, eu amo bibliotecas e gosto muito de fazer passeios nelas. Pena que os espaços das bibliotecas não sejam valorizados aqui no nosso país.
    Eu fico muito feliz quando vejo bibliotecas sendo frequentadas. Mas é triste ver o descaso com os arredores. Triste o abandono do parque e certos descuidos como a falta de acessibilidade.
    beijos
    Chris


    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chris, há uns anos realmente reduziram drasticamente esses espaços e eu fico sempre muito feliz quando acho algum tão potente como esse do parque villa-lobos. sim, esse parque é bem mal cuidado infelizmente.

      Excluir

Bons comentários!