sábado, 9 de novembro de 2019

O Prodígio

Assisti O Prodígio (2019) de Nicholas McCarthy no TelecinePlay. Voltei as minhas paixões, aos filmes de fantasminhas que tanto amo. Halloween está rendendo esse ano. Esse é ótimo, com roteiro de Jeff Buhler. No Brasil está como Maligno, pouco sutil, prefiro o nome original. Os dois títulos são de inúmeros outros filmes. Esse filme é bem clássico, não inova praticamente nada no gênero, mas é muito bom, gostei demais.

Começa com duas histórias se alternando. Uma jovem fugindo à noite em lugar ermo e uma mãe tendo as contrações para parir antes da hora. Logo o paralelo se forma e entendemos que o morto encarna no bebê que é prodígio, nasce antes, fala muito antes, a mãe passa a estudar crianças superdotadas, coloca ele em escolas especiais e muito caras. Os especialistas que acompanham a criança chamam a mãe e falam que apesar dele ser muito desenvolvido em algumas questões, é atrasado em outros, como a socialização, ele não tem amigos. A criança chega então aos 8 anos e faz a sua primeira violência contra outra criança. Mais um filme que eu fico apavorada pela criança, pelo ator que faz o prodígio. Eu sei, hoje as crianças entendem mais o que é ficção e realidade, que é trabalho de ator, muitos querem mesmo ser atores, mas eu sempre me incomodo. Eu não deixaria meu filho ser o protagonista desse filme. E agora que vi que ele também está no filme iT, A Coisa.
A mãe demora a aceitar ajuda de um homem que faz hipnose pra tentar saber da outra vida. Ela não aceita reencarnação, mas apavorada com os acontecimentos, acaba cedendo. O espírito ameaça o homem que não pode contar a mãe o que descobriu. é tudo bem interessante. Incrível porque, como disse, o filme não é muito original, mas surpreendeu em vários momentos, no final então fiquei apavorada. A possibilidade clássica de continuação acontece, mas é muito, mas muito surpreendente. Os efeitos especiais são muito bons. O ótimo garoto é interpretado por Jackson Robert Scott. A mãe pela ótima Taylor Schilling. O filme é praticamente os dois, mas alguns outros atores aparecem no elenco: Peter Mooney, Colm Feore, Paul Fauteaux, Paula Boudreau e Brittany Allen.

Beijos,
Pedrita

12 comentários:

  1. Vi vários suspenses mês passado, mas este eu deixei passar.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Acabei de chegar do Shopping Frei Caneca. Assisti ao documentário da Rogeria. Muito bom. Bjs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Acho que eu ficaria com medo!!!!!
    Também fico impressionada com a facilidade que muitas crianças têm de interpretar personagens difíceis e compreender que é atuação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ana paula, eu fiquei muito assustada. eu fico preocupada com as crianças pq sempre fico na dúvida pq mesmo q elas saibam bem hj em dia, e as gravações separem as cenas e a criança veja menos os horrores, as cenas são editadas, mas é muito forte. esse principalmente.

      Excluir
  4. Chocada com esse filme.
    As cenas com o terapeuta (quando ele risca o sofá com o nome), a da cachorrinha (chorei horrores por causa de tamanha maldade com a pequerrucha) e dele se olhando no espelho foram terríveis.
    Mas na verdade fiquei com dó de todo mundo ali viu.
    Começando pelo garotinho, a mãe dele, o pai, a cachorrinha, a mulher sobrevivente.
    Dormi de sexta-feira pra sábado com a luz acesa de medo daqueles "zóios " um de cada cor rsrsrs
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, assim q eu vi q tinha cachorro já fiquei apavorada. já fiquei com vontade de largar. sim, dá dó de todo mundo.

      Excluir
  5. Não faz o meu gênero, embora eu tenha interesse em comportamentos pouco naturais de crianças. Faço parte do grupo que acha que o ser humano nasce bom e se modifica a partir do contato-relações com o meio. Mas fica a questão da psicopatia que se manifesta já na infância.

    ResponderExcluir
  6. Eu também estou voltando a assistir esse tipo de filme Pedrita.
    Dei um tempo por causa da partida do meu irmão, ainda choro muito mas a vida segue, esquecer jamais!
    Filmes de suspense e terror me deixa de cabelo em pé, mas gosto. Rs

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, não tem como esquecer fatos que nos machucam. esse filme é muito bom.

      Excluir

Bons comentários!